O golfinho é encontrado encalhado e morto na Ilha do Mel, em Paranaguá, PR

O golfinho é encontrado encalhado e morto na Ilha do Mel, em Paranaguá, PR
Foto: LEC / UFPR – Divulgação

Na tarde desta quinta-feira, 22, o Laboratório de Ecologia e Conservação (LEC) da Universidade Federal do Paraná (UFPR), foi chamado à Ilha do Mel, em Paranaguá, para investigar o encalhe e a morte de um golfinho (Tursiops truncatus) na praia local. A carcaça do animal encontrava-se em avançado estágio de decomposição. Uma autópsia será realizada no golfinho para determinar o estado de saúde do animal, bem como o ambiente em que viveu.

“Nossa equipe resgatou o animal de 2,95 metros e encaminhou a carcaça em estágio avançado de decomposição para o Centro de Reabilitação, Despetrolização e Análises Sanitárias da Fauna Marinha para realizar biometria e demais atividades afins. A autópsia e a coleta de material biológico”, informa a assessoria de imprensa.

De acordo com o LEC, a ação faz parte do Projeto de Monitoramento das Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), que consiste no resgate de animais vivos e mortos que caem em praias do Brasil e do litoral do Paraná.

Importância da autópsia

O golfinho passará por autópsia por profissionais do LEC da UFPR. Segundo a universidade, o instrumento é importante para pesquisa e conservação. “Graças a esse procedimento, pudemos coletar amostras para diversos tipos de exames e avaliar o estado de saúde do animal e até mesmo o ambiente em que o animal vivia (o oceano)”, afirma.

“No entanto, ressaltamos que nem todos os animais encalhados na praia sem vida são autopsiados, porque de acordo com o protocolo PMP-BS, a autópsia é realizada em animais em um estágio inicial e moderado de decomposição, ou para encalhe. Espécies que claramente interagiram com humanos, ou que não são frequentes nas diferentes regiões de atuação do projeto ”, explica a UFPR.

PMP-BS

A ação faz parte do Projeto de Monitoramento das Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), atividade desenvolvida para atender às exigências de autorização ambiental federal para as atividades da Petrobras na produção e escoamento de óleo e gás natural na Bacia de Santos. Santos, liderado pelo Ibama. “O projeto visa avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento do óleo em aves, tartarugas e mamíferos marinhos, por meio da vigilância de praias e cuidados veterinários de animais vivos e da autópsia dos encontrados mortos”, explica a assessoria de imprensa.

“O PMP-BS é realizado de Laguna (SC) a Saquarema (RJ), sendo dividido em 15 trechos. O Laboratório de Ecologia e Conservação da Universidade Federal do Paraná (LEC / UFPR) é responsável pelo monitoramento e avaliação dos encalhes da seção 6, que abrange os municípios de Guaratuba, Matinhos, Paranaguá, Pontal do Paraná e Guaraqueçaba (PR) ”, finaliza a UFPR .

Por Elton Daniel Oliv

Fonte: Saúde (com informações do LEC da UFPR)

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.