Foto: Pixabay

O lado obscuro das corridas de cavalos: os perdedores são enviados para matadouros no México e Canadá

As corridas de cavalos nos EUA são há tempos um dos passatempos favoritos dos ricos. Até hoje, tanto mulheres como homens se vestem em roupas chiques para ir ao derby, e muitos até mesmo tornam esse esporte lucrativo apostando em qual cavalo irá ganhar. Mas nem tudo é diversão e jogos; para os cavalos que são forçados a darem um show para o entretenimento e lucro humanos, o dia do derby pode ser uma questão de vida ou morte.

Os cavalos que se apresentam bem durante as corridas são usualmente sortudos o suficiente para receberem uma vida decente somente para que eles possam continuar a dar dinheiro para seus tutores. Por outro lado, os cavalos que perdem são com frequência enviados para o abate quando seus treinadores decidem que eles não são mais “valiosos”.

De acordo com a Forbes, mais de 10.000 cavalos de raça nos EUA são vendidos em leilões, enfiados em caminhões superlotados, e enviados para matadouros no México e Canadá a cada ano. Por que não abater esses cavalos nos EUA? Bom, é ilegal lá. Apesar de esta lei poder fazer com que você acredite que os EUA apoia o tratamento humano dos cavalos, isto não poderia estar mais longe da verdade. Na realidade, a proibição dos EUA do abate de cavalos serve apenas como uma forma dessa nação se livrar dos cavalos “extras” sem se responsabilizar pelo fato de que eles são reproduzidos para as corridas em proporções insustentáveis, tudo pelo lucro e o entretenimento humanos.

Nos dias atuais, cavalos nos EUA são procriados de uma forma irresponsável, que faz com que eles tenham velocidade na pista, mas também tem o efeito de torná-los particularmente suscetíveis a lesões. Por exemplo, os cavalos de hoje são reproduzidos para ter os tornozelos mais finos possíveis para que eles possam correr mais rápido, o que frequentemente resulta em animais inocentes que quebram suas patas. O que é pior, quando as lesões ocorrem, os donos normalmente mandam matar os cavalos, como se eles fossem objetos descartáveis ao invés de pagar para ter suas lesões tratadas de maneira apropriada.

Como as pessoas na indústria das corridas de cavalos continuam a contribuir para a explosão da população de cavalos nos EUA, não se importam muito com o que irá acontecer a esses cavalos que não são campeões nas pistas. De acordo com o Departamento de Agricultura dos EUA, 92,3 por cento dos cavalos enviados ao abate são saudáveis e perfeitamente apropriados para terem uma vida normal; entretanto, encontrar pessoas com o dinheiro e a terra necessários para adotar esses cavalos pode ser difícil, fazendo com que eles sejam enviados para o exterior para serem mortos. Esta é a verdade horrível que você não vê no dia das corridas.

Como uma alternativa a fazer os cavalos passarem por essas condições cruéis ao caminho de outros países onde seu abate não é frequentemente regulado, algumas pessoas sugeriram que cavalos que não tem mais “valor” sejam abatidos de uma forma mais humana nos EUA. Apesar de essa opção ter o potencial de ser minimamente menos horrível, ainda não chega à raiz do problema e não aborda o fato de que os cavalos são reproduzidos de forma irresponsável e maltratados pelo benefício humano.

Então o que você pode fazer para ajudar a colocar um fim nesse tratamento chocantemente cruel e desnecessário dos cavalos pela indústria de corridas nos EUA? A coisa mais fácil é nunca participar ou apostar em um cavalo de corrida. Depois, conscientizar as pessoas sobre esta questão e assinar petições que se opõem aos maus-tratos para com os cavalos, como esta, são dois grandes passos.

Por Estelle Rayburn / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: One Green Planet

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.