O número de veganos aumentou 600% em 3 anos nos EUA

O número de veganos aumentou 600% em 3 anos nos EUA

Um artigo recente da Food Revolution revela que o número de veganos nos EUA aumentou em 600% nos últimos três anos.

Em 2014, apenas 1% dos americanos se identificavam como veganos. No entanto, dados de 2017 mostram que 6% dos americanos identificam-se agora como veganos.

O aumento parece estar reflectido também no mercado. Dados estatísticos recentes revelam que as vendas de leite vegetal aumentaram 61% desde 2012, enquanto que as vendas do leite convencional sofreram um declínio.

Além disto, uma quantidade crescente de americanos, cerca de 50%, agora apoia a proibição de matadouros e outros 70% admitiram que se sentem incomodados com a maneira como os animais são mortos para o consumo.

Em todo o mundo

Números similares foram observados noutras partes do mundo.

A Vegan Society mostrou um aumento de 360% no número de veganos na Grã Bretanha na última década. Dados recentes mostram que atualmente 8% das pessoas no Reino Unido são veganas.

Em Portugal, o número de vegetarianos ascendeu a 120% na última década também, o que representa um aumento de 400%. O número de veganos deve rondar os 60.000 actualmente.

Da mesma forma, o mercado de produtos veganos na China deve aumentar 17% até 2020, indicando que o estilo de vida está a tornar-se cada vez mais prevalente.

Devido ao aumento na preocupação com a saúde, com o meio-ambiente e com os direitos animais, especialistas sugerem que o número de consumidores veganos continuará a aumentar.

Impacto no mercado

Os alimentos baseados em plantas têm tido uma previsão de crescimento enorme nos próximos anos, prevendo-se que o mercado de alternativas à carne atingirá 5.2 milhares de milhões de euros em 2020, e o setor das bebidas vegetais atingirá 16 biliões em 2018.

Fonte: Associação Vegetariana Portuguesa / mantida a grafia lusitana original


Nota do Olhar Animal: Veganismo não é um “estilo de vida” e sim uma postura moral. E é bem possível que estes números estejam inflados pelo critério de atribuir a condição de vegano a quem é apenas vegetariano (não se alimenta de nada de origem animal). De qualquer forma, os números refletem uma importante mudança de comportamento, que consciente ou inconscientemente favorece os animais.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.