O que fazer quando você encontrar um filhote de passarinho no chão

O que fazer quando você encontrar um filhote de passarinho no chão

Conforme você caminha sob o sol da primavera, seu celular no seu bolso (quem consegue ver a tela nesta gloriosa luz do dia, afinal?), você nota um gorjeio inesperado vindo do pavimento quente.

Você olha para baixo, e vê um passarinho bebê. Ele parece sedento lá na calçada. Sem nenhuma pena e com a pele à mostra. Vulnerável e sozinho.

Sendo humanos, nós estamos inclinados a salvar esta pequena vida. Afinal de contas, estamos falando de um bebê aqui.

Mas espere aí. Sua professora da quarta série não tinha dito para nunca encostar em um passarinho bebê?

E, de qualquer modo, o que você pode fazer para este bebê errante? O departamento de controle animal local irá responder ao seu chamado por uma pequena ave, fraca e enrugada, que parece que já não vai durar muito neste mundo?

Bem, acontece que há muita coisa que podemos fazer para garantir que estes aparentes órfãos tenham uma chance na vida.

Peter Helmer, um especialista em medicina veterinária aviária da BluePearl Veterinary Partners, compartilhou algumas dicas com o The Dodo.

Primeiro de tudo, considere o subestimado ato de não fazer nada. Como acontece com muitos animais, as mães aves irão ocasionalmente deixar seus bebês sozinhos enquanto elas vão fazer suas tarefas. Como juntar comida para encher aquelas pequenas bocas em seu ninho.

“Os pais animais farão um trabalho melhor para criarem um bebê comparado a uma instalação de reabilitação de vida selvagem ou um veterinário”, Helmer nota. “A menos que o animal esteja ferido, é melhor deixá-lo sozinho e deixar a natureza seguir seu rumo”.

Filhote passarinho chao2

Isso é muito bom se a gente cruzar com um bebê sozinho em um ninho, uma árvore ou uma área de grama.

Mas na calçada? Na frente de nossa porta?

Isso pode pedir uma pequena intervenção humana.

Filhote passarinho chao3

Tente enrolar o passarinho em uma toalha e carregar este pequeno pacote para uma árvore próxima ou sombra. Mães, como você já deve saber, são um gênio para saber exatamente onde seus filhos estão – contanto que você não os leve para muito longe de onde eles foram encontrados.

E, sim, a ideia de que mães abandonam bebês que foram tocados por humanos é ficção.

“É um mito que tocar uma ave bebê irá torná-lo órfão – aves não possuem glândulas olfativas”, Rob Halpin do MSPCA-Angell diz ao The Dodo.

Apesar de que você ainda vai querer ser extremamente gentil ao lidar com o bebê por razões óbvias.

Filhote passarinho chao4

A ideia é levá-los a um local seguro – abrigados do sol quente e, claro, longe do alcance de cães e gatos que possam cruzar com eles.

Mantenha em mente que animais geralmente não têm ideia do que parece uma mão amiga. Frequentemente, eles podem vê-la como uma ameaça. Eles podem tentar te bicar ou arranhar.

Depois que você colocou esta carga preciosa em um local seguro, coloque um pouco de grama sobre ele. Dessa forma, você pode checar o bebê a cada 12 ou 24 horas. Se a grama foi movida, é bem provável que a mãe voltou e tomou conta da situação.

Filhote passarinho chao5

Obviamente, um bebê gravemente ferido precisará de muito mais do que um pedaço de sombra fresca. O ideal é que você o leve a um centro de vida selvagem. Mas se não conseguir encontrar nenhum por perto, Helmer recomenda levá-lo para o hospital veterinário mais próximo – novamente usando uma toalha ou uma caixa para evitar que o bebê fique balançando pelo carro.

Filhote passarinho chao6

É importante notar que bebês feridos não irão comer ou beber. O principal aqui é fazer com que eles tenham atenção médica o mais rápido possível.

Deixe o hospital cuidar do pequeno paciente. Quando o bebê estiver melhor, a equipe provavelmente irá entrar em contato com um centro local de vida selvagem para reabilitação.

Então pegue essa sua mão amiga – e se dê um tapinha nas costas.

Você agiu bem.

Fonte: The Dodo

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.