OAB resgata quatro cães abandonados em residência; quinto animal estava morto

OAB resgata quatro cães abandonados em residência; quinto animal estava morto

Quatro cães que estavam sem água e sem comida foram resgatados nesta quinta-feira, 1º, por integrantes da Comissão de Bem Estar Animal da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Alagoas (OAB/AL). O grupo chegou à residência onde os animais estavam, localizada no Jardim Petrópolis I, após denúncias de vizinhos e do administrador de um condomínio.

Rosana Jambo, presidente da Comissão, disse que no imóvel havia cinco cães, mas um deles já estava morto. Ela relatou a cena encontrada: “Muito mato, ratos, fezes, urina e a pouca ração para os animais totalmente exposta… Um dos cinco cães, não resistiu à gravidade dos maus tratos e morreu. O corpo estava sendo comido por larvas, no mesmo ambiente onde estavam os outros animais, debilitados”.

A proprietária da residência chegou ao local no momento em que a Comissão confirmava a denúncia e tentou intervir. A mulher colocou ração para os cães e afirmou que visitava o local pelo menos uma vez na semana. Em um primeiro momento, ela não permitiu o resgate dos animais para o encaminhamento ao Centro de Controle Zoonoses (CCZ), da Secretaria Municipal de Saúde para exames.

A presidente da Comissão disse que a afirmação da proprietária do imóvel foi desmentida pelo administrador do condomínio e de testemunhas, que revelaram que os cães passavam semanas sem nenhuma assistência.

“Ela queria fazer acordo e nesta situação não há o que acordar. Ou ela permitia o resgate dos quatro cães que sobreviveram ou sairíamos de lá diretamente para prestar uma queixa-crime na polícia. Essa senhora já foi convocada para uma audiência na OAB, agendada para a próxima semana, onde ela pode tentar esclarecer os fatos, se comprometer a não praticar mais estes atos de abandono e reaver pelo menos dois dos cães de propriedade de seus filhos”, contou Rosana Jambo.

“Ela disse que os filhos são apegados aos animais. As crianças estavam lá e choraram bastante, tivemos que explicar que eles não podiam chorar porque um havia morrido e precisávamos levar os outros para tratamento. Quando eles tiverem bem podem retornar, mas dessa forma correm risco de morte”, completou.

“É negligência. Ela agora vai se explicar nessa audiência e assinar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) quando irá se comprometer a adotar todos os cuidados para o tratamento devido dos animais e custos do tratamento. Após esta etapa, ela será monitorada e pode ter os animais de volta. Se ferir esse possível acordo, os cães vão para adoção. Independente de qualquer acordo, ela será processada porque um animal morreu. Ficou configurado o crime de maus tratos que tem pena variando de três meses a um ano. Quando o animal morre, a pena pode ser elevada de 1/6 a 1/3”, finalizou.

As denúncias podem ser encaminhadas para a OAB Alagoas por telefone, pelo contato 3023-7200, e pelo e-mail: [email protected]

AL AOB resgata quatro caes abandonados quinto estava morto2

Fonte: Cada Minuto (com Ascom OAB/AL)

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.