SP piracicaba 1411044526 m thumb

Oito gatos morrem envenenados no Parque 1º de Maio, em Piracicaba, SP

Moradores estão revoltados com as mortes, mas não sabem a quem recorrer.

Por Carolina Gavioli

SP piracicaba 1411044526 m

Oito gatos morreram envenenados no período de um mês no bairro Parque 1º de Maio. Os moradores estão assustados e revoltados com as mortes, que não são novidade e voltaram a acontecer após um período de um ano de pausa. O Jornal de Piracicaba foi até o bairro nesta quarta-feira (17/09) e cinco moradores confirmaram as mortes dos oito felinos.

A comissária de bordo Adriana Evangelista, 40, moradora do bairro, entrou em contato com o JP quarta-feira (17/09) para relatar que sua gata de estimação de 11 anos, chamada Gardênia (foto), foi envenenada na manhã de terça-feira (16/09). Após perceber um comportamento estranho do felino, a comissária a levou até o veterinário, que confirmou o envenenamento por chumbinho. “Fiquei desesperada. Ela saiu dez minutos na rua e voltou muito estranha, andando de um jeito diferente e chegou a desmaiar na calçada do vizinho. Peguei ela rapidamente e levei direto ao veterinário, que confirmou que ela foi envenenada”.

A gata foi internada e estava tomando soro e medicação quarta-feira (17/09) à tarde. Adriana disse que vai fazer boletim de ocorrência do caso. “Quero que as pessoas que fizeram isso sejam punidas de alguma forma, isso não pode ficar assim. Eu quero que quem fez isso limpe os locais em que foi colocado o veneno para que mais nenhum gato morra desse jeito”.

A comissária contou que as mortes de gatos por envenenamento são comuns no bairro. Ao menos uma vez por semana os moradores encontram os animais mortos em telhados e pelas ruas. “Não posso acusar ninguém, mas suspeito que tenha sido alguém próximo, que more aqui no bairro”, disse.

Mãe de Adriana, a dona de casa Aparecida de Lima Evangelista, 67, fica o dia todo com a gata e disse ela sai ao menos uma vez por dia para passear. “Ela só vai até a árvore da vizinha, sobe e logo em seguida volta pra casa. É uma crueldade muito grande fazer isso com um ser tão indefeso”.

Aparecida mora no bairro há 32 anos e disse que os casos de morte de gatos por envenenamento sempre aconteceram. “Muitos moradores já perderam seus gatos por causa disso e estamos cansados de passar por esta situação. O problema maior é que não temos a quem recorrer”, disse Aparecida.

A aposentada Cecília Rodrigues, 65, contou que seus dois gatos de estimação morreram há dois anos por envenenamento de chumbinho. A irmã dela, que mora na mesma rua, também perdeu um gato há três anos pelo mesmo motivo. “Sofri muito na época e depois não peguei mais nenhum gato por medo deles morrerem também. Imagino que eles devem ter comido alguma coisa envenenada na rua. Foi muito triste”, disse Cecília.

O médico veterinário que atendeu a gata Gardênia não quis se identificar, mas contou ao JP que provavelmente o chumbinho foi colocado junto à comida de gato para despertar a atenção do animal. “O chumbinho não tem cheiro e nem gosto e geralmente quem faz isso mistura com a ração ou patê. A venda só é permitida para agricultores que precisam apresentar uma receita para comprar, mas mesmo sendo proibido, muitas pessoas conseguem comprar para fazer maldades como essa”.

O veterinário disse que no período entre 15 e 22 de agosto atendeu quatro casos de gatos que foram envenenados por chumbinho no Parque 1º de Maio: dois não resistiram e dois sobreviveram. “Não existe um antídoto para o chumbinho, o que dificulta muito para salvar os animais envenenados”, explicou.

Fonte: Jornal de Piracicaba

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.