Olinda (PE) retoma recolhimento de animais de grande porte

Olinda (PE) retoma recolhimento de animais de grande porte

Nos seis primeiros meses do ano, o programa de Recolhimento de Animais em Olinda, no Grande Recife, conseguiu tirar cerca de 240 animais de médio e grande porte das ruas. Após dois meses sem funcionar, a prefeitura do município retoma a ação, a partir desta segunda-feira (3). A população pode realizar denúncias 24h, por telefone.

O número representa uma média de 40 animais por mês, entre eles, cavalos, jumentos, mulas, carneiros, bois e porcos grandes. Segundo a prefeitura, o contrato inicial tinha caráter emergencial e duração de seis meses apenas. A partir desta segunda (3), a empresa trabalha por meio de licitação.

A população pode realizar denúncias de animais soltos ou abandonados 24 horas por dia, diretamente com a empresa responsável pelo programa, no telefone (81) 97104.7051. Também é possível denunciar através da Secretaria de Meio Ambiente e Planejamento Urbano do município, no telefone (81) 3439-5535, das 7h30 às 13h30.

Os moradores de Olinda podem denunciar ao projeto Recolhimento de Animais a presença de cavalos e jumentos soltos ou abandonados. (Fotos: Divulgação/Prefeitura de Olinda)

Além de atender às denúncias, uma equipe com um caminhão boiadeiro faz rondas entre segunda e sábado, em horário comercial. Os animais recolhidos são levados para um alojamento, localizado na Avenida Lígia Gomes, na zona rural do bairro de Ouro Preto.

Para reaver seus animais, os tutores devem se dirigir a sede da Secretaria de Meio Ambiente e Planejamento Urbano de Olinda, na Rua do Bonsucesso, nº 306, no bairro de mesmo nome. O resgate deve ser feito em até cinco dias úteis.

Os animais que não têm tutor ou os tutores não forem buscar são colocados para leilão ou doados para instituições filantrópicas ou públicas. Os animais que apresentarem algum tipo de zoonose são encamainhados para a Secretaria de Saúde de Pernambuco.

Vídeo: Cavalos são flagrados soltos em área turística de Olinda.

Reincidência

Segundo o secretário de Meio Ambiente e Planejamento Urbano de Olinda, André Botelho, até o momento, não é cobrada nenhuma taxa para o resgate do animal, mas existe um decreto em processo final de análise legal na Procuradoria Geral do Município.

Se aprovado, será estabelecido o pagamento de uma multa que varia de R$ 200 a R$ 1.500, de acordo com a reincidência em que o animal é recolhido das ruas. Com esta regra, o tutor só poderia resgatar o animal após o pagamento.

A taxa, segundo o secretário, diminuiria o número de animais recolhidos mais de uma vez em um curto período de tempo, como o registrado nos seis primeiros meses de funcionamento do programa.

“Grande parte dos animais recolhidos foram reincidentes. Acreditamos que se o proprietário pagar a primeira vez, a partir da segunda, quando o valor for aumentando, ele vai sentir isso e não repetir o erro. Queremos criar a consciência de que eles não podem deixar seus animais soltos em via pública ou passeando pela praia”, explica o secretário.

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: Lamentável que os animais possam ser encaminhados para leilão como se fosse objetos, além de acabarem nas mãos de pessoas despreparadas para a tutela. Também lamentável é a facilidade com que se devolve o animal é devolvido para o tutor negligente, mediante apenas o pagamento de multa. São pontos importantes a serem modificados pelos protetores daquele município.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.