Onça encontrada ferida na Rodovia Washington Luís morre em ONG de Jundiaí, SP

Onça encontrada ferida na Rodovia Washington Luís morre em ONG de Jundiaí, SP
Onça encontrada ferida na Rodovia Washington Luís morre em ONG de Jundiaí (Foto: ONG Malar Ciliar/Divulgação)

A onça-parda encontrada ferida na Rodovia Washington Luís na cidade de Fernando Prestes e encaminhada para tratamento veterinário na ONG Mata Ciliar, em Jundiaí (SP), morreu na segunda-feira (26).

Ao G1 nesta quinta-feira (1º), a coordenadora de Fauna da Associação Mata Ciliar, Cristina Harumi Adania, afirmou que uma hemorragia interna é apontada como a causa da morte do animal, que era um macho adulto de cinco anos.

“Os primeiros socorros foram prestados no caminho até o PS da ONG. Passamos a noite inteira com a onça, mas mesmo assim ela morreu. Estava com o pulmão hemorrágico, corruptura de bexiga e sangue na cavidade do tórax.”

Segundo a Polícia Militar Ambiental, a suspeita é que o animal tenha sido vítima de um atropelamento. Ele sofreu fraturas nas patas traseiras e precisou ser submetido a uma cirurgia, mas não resistiu.

“Foi uma perda muito grande. Era um macho já estabelecido que conhecia aquele território, não era nada novo para ele. Foi uma fatalidade”, ressalta Cristina.

Sem saída

Cristina alega que atropelamentos de onças pardas em rodovias é um caso comum, porque com o crescimento das estradas não foi dada alternativas para os animais circularem.

“Não são dadas para essas onças túneis, pontes, que poderiam servir para toda a fauna como corredores florestas”.

No entanto, apesar da morte da onça, a coordenadora da ONG Mata Ciliar acrescenta que constantemente eles fazem resgates de onças atropeladas e que a maioria acaba se recuperando após passarem por tratamento.

ONG de Jundiaí se prepara para fazer a soltura de outra onça que foi resgatada atropelada (Foto: ONG Malar Ciliar/Divulgação)
ONG de Jundiaí se prepara para fazer a soltura de outra onça que foi resgatada atropelada (Foto: ONG Malar Ciliar/Divulgação)

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.