SP saocaetano 09ec 4536168t thumb

ONG busca fiscais voluntários na região de São Caetano, SP

Por Renata Rocha

SP saocaetano 09ec 4536168t

A ONG SOS Cidadania Animal, de São Caetano, busca voluntários para fiscalizar denúncias de maus-tratos contra animais. A entidade recebe em torno de dez a 15 ligações por dia, e os protetores não dão conta de atender a demanda.

Para tanto, será criado o grupo De olho no Anjo, formado por voluntários interessados em ajudar a apurar a veracidade dos casos. “Primeiro fazemos uma notificação extrajudicial para quem pratica os maus-tratos. Normalmente eles doam os animais ou passam a agir melhor. Caso isso não aconteça, acionamos o Ministério Público, que vai agir judicialmente contra o acusado”, explica o presidente da entidade, Ubiratan Figueiredo, 65 anos.

A SOS Cidadania animal foi criada há dois anos, mas a história começou muito antes, há pelo menos 40 anos. Figueiredo fazia o caminho de carro de Santo André até São Caetano quando, na Avenida Queirós Filho, viu um homem chicoteando um cavalo. Ele desceu do veículo e tentou argumentar com o proprietário do animal, mas não houve solução. Desde então se tornou protetor independente. “O número de pessoas que resgatam animais e tentam arrumar um lar para eles é muito grande. Então, há dois anos criamos a ONG. Não temos espaço para abrigo, mas damos assistência veterinária com valor acessível, além de ajudar outros protetores com feiras de adoção.”

A ONG recebe doações de remédios, cobertores, ração, entre outros suprimentos. Localizada em imóvel na Rua Luiz Cavana, 138, no Centro, ainda abriga pequeno número de cães e gatos à espera de uma família.

No local há cirurgião, ortopedista, especialista em animais silvestres, oftalmologista, cardiologista e acupunturista. A cadela Costelinha é uma das pacientes. Ela foi encontrada pela administradora Jaqueline Goulart Simon, 27, passou por cirurgia e permanece na ONG para acompanhamento.

Costelinha estava na fazenda do sogro de Jaqueline, no curral e com sangue na cabeça. Ela tomou uma facada próximo ao olho. “Achei que não sobreviveria. Ainda bem que deu tudo certo.”

Para quem quer adotar, hoje uma das protetoras independentes estará no local com quatro cachorros até às 18h. Amanhã haverá cinco filhotes de cão, disponíveis das 13h às 18h. Para adotar, é necessário levar comprovante de residência atual e RG.

Fonte: Diário do Grande ABC

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.