ONG de animais resgatados recompensa doadores com cervejas especiais em Belo Horizonte, MG

ONG de animais resgatados recompensa doadores com cervejas especiais em Belo Horizonte, MG

Uma ONG de Belo Horizonte tem mantido cães resgatados e ajudado protetores independentes de um jeito inusitado. Para recompensar de alguma forma quem doa ração, remédio ou até quantia em dinheiro, a Classificão criou rótulos de cervejas especiais que levam os nomes de alguns desses cães.

O fundador da ONG, Ricardo Fonseca, nem se lembra de quando se tornou um protetor de animais. Desde que se entende por gente ele tem este sentimento acolhedor por animais de rua.

Aos 38 anos, tem 8 cães junto com a mulher, Cristiane. Quatro deles estão dentro de casa. Dois ficam em lares temporários, que o Ricardo também ajuda a manter, e os outros dois estão em guarda compartilhada com adotantes.

O fotógrafo profissional disse que foi um aprendizado entender que as pessoas são mais receptivas a causas como essa se tiver alguma forma de compensação.

Foi pensando nisso que ele criou, há um ano, a série de cervejas “Cãoderua”. Até hoje, já fabricou em casa 20 estilos diferentes de cerveja e cada uma delas tem no rótulo a foto e a história de um animal resgatado.

Cerveja ‘Cão de Rua’, criada pelo fundador da ONG Classificão. — Foto: Ricardo Fonseca/Divulgação

“A partir do momento que eu criei um retorno, começou a melhorar”, disse o protetor. Apesar desta melhora, ainda recebem pouca ajuda.

Ricardo contou que a maioria dos contatos que recebe é de pessoas pedindo resgate de algum animal, serviço que a ONG não oferece. A entidade tem como trabalho orientar pessoas que não sabem como resgatar um animal de rua. A ONG ainda ajuda com indicação de veterinários e lares temporários.

“A demanda de pedido de ajuda e de resgate é 10 vezes maior do que a ajuda. Ela [a pessoa] não quer ter o trabalho, ela quer passar o ‘problema’ pra frente”, disse o fotógrafo, mas sem desanimar.

A ONG, além de orientar sobre o resgate destes animais, ainda tenta buscar pessoas adotantes para os muitos animais mantidos nestes lares temporários.

E ainda tem outra situação, a guarda compartilhada. Acontece quando uma pessoa quer adotar um animal, mas não pode arcar com toda a despesa. Neste caso, Ricardo tenta ajudar da melhor forma.

A transformação do Virgulino — Foto: Ricardo Fonseca/Arquivo pessoal

Durante este primeiro ano de produção das cervejas “Cãoderua”, Ricardo já fez 20 estilos de cerveja diferentes, entre eles Ipa, Brut IPA, APA, Hop Lager, Milk Shake Imperial Stout, Blonde Ale, Belgian Dubble, Belgian Triple, Amber Ale, Extra Special Bitter, Cream Ale.

E cada estilo diferente da cerveja tem um cão e uma história. O rótulo traz a foto do cão, a história do resgate e ainda informações sobre o estilo da cerveja e da fabricação.

Além da cerveja, o doador pode ganhar copos, taças e abridores da marca ‘Cãoderua’. Nenhum dos produtos é vendido e só é entregue como brinde para quem ajuda.

Para ajudar, o contato pode ser feito pelo perfil da Classificão.

Maria, uma das cadelas resgatadas por Ricardo Fonseca. — Foto: Ricardo Fonseca/Arquivo pessoal

Januário, um dos cães resgatados por Ricardo Fonseca. — Foto: Ricardo Fonseca/Arquivo pessoal

Nazaré, resgatada por Ricardo Fonseca. — Foto: Ricardo Fonseca/Arquivo pessoal

Fátima, enquanto ainda mamava. — Foto: Ricardo Fonseca/Arquivo pessoal

Por Cíntia Paes

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.