ONG denuncia desleixo com animais no CCZ da Serra, ES

A ONG Amizade é um Luxo, ligada à causa animal, denunciou em reunião da CPI que investiga maus-tratos a animais, várias irregularidades no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da Prefeitura da Serra. A vice-presidente da entidade, Marcelle Jório, projetou vídeos e fotos com imagens de cães comendo comida misturada a fezes, presos em baias sujas e com poças d’água.

Ela denunciou que, apesar de a ONG ter doado medicação para castração e tratamento de cães e gatos, os veterinários que atuam no CCZ não efetuaram os procedimentos. E informou que a instituição havia se comprometido a cuidar dos animais por meio de uma parceria firmada.

Marcelle Jório afirmou que o foco da ONG é ajudar os CCZs com a doação de remédios e rações para os animais, além de intermediar na busca de famílias que adotem aos abandonados. Segundo ela, como flagrou as irregularidades no Centro de Zoonoses e providências não foram tomadas para resolver a situação, não houve alternativa senão levar o caso à Polícia Ambiental e ao Ministério Público, e, posteriormente, à CPI aberta na Ales.

A ativista afirmou que, desde que a ONG passou a denunciar o caso, a direção do CCZ não permitiu mais a entrada de seus integrantes na unidade sob o argumento de que a parceria precisaria de uma “formalização” e de uma base de legalidade a partir de convênio a ser elaborado.

A subsecretária de Saúde da Serra, Eida Borges, e a superintendente de Saúde, Kelly Arreal, disseram-se surpreendidas com as imagens mostradas na CPI. Elas alegaram desconhecimento do grau de maus-tratos denunciados e prometeram providências para sanear a situação. O diretor do CCZ, José Paulo Viçosi (Frei Paulão), admitiu as falhas, mas alegou que foram pontuais e ocorreram no início de 2016.

O promotor Bruno Araújo, representante do Ministério Público na CPI, classificou de “chocantes” as imagens que denunciam a situação no CCZ de Serra. Eles propôs um acordo com a Secretaria de Saúde de Serra para que a ONG Amizade é um Luxo volte a fiscalizar como os animais estão sendo tratados na unidade.

Kelly Arreal pediu prazo de 24 horas para uma resposta, com o argumento de que precisaria de um aval da Procuradoria de Serra. “Se eles (a prefeitura) não permitirem o retorno da ONG, nós (Ministério Público) vamos entrar nesse CCZ e fiscalizar tudo. Esses maus-tratos não podem continuar”, advertiu o promotor.

O presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária, Luiz Carlos Barbosa Tavares, disse que a entidade vai abrir uma sindicância sobre o caso. Se ficar comprovada negligência de veterinários que atuam no CCZ eles responderão a processo ético disciplinar, o que pode resultar até na perda do registro profissional.

A presidente da CPI, deputada Janete de Sá (PMN) afirmou que a denúncia levada ao colegiado demonstra que os trabalhos da comissão de inquérito já estão provocando resultados positivos.

Ela disse que todos os CCZs existentes no Estado serão investigados. “Vamos fazer uma audiência pública em Linhares, porque recebemos denúncias de maus-tratos a animais naquele município. Outros municípios da Grande Vitória e do interior também serão visitados pela CPI”, disse.

A CPI volta a se reunir no dia 15 de agosto, após o recesso parlamentar de julho. A pauta ainda será definida.

Fonte: ES Hoje

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.