ONG denuncia tentativa da Suazilândia de vender chifres de rinocerontes após a venda de 17 elefantes para zoológicos nos EUA

Tradução de Alice Wehrle Gomide

A ONG Friends of Animals (FoA – Amigos dos Animais) está perturbada pelas notícias de que a Suazilândia fez uma proposta surpresa para legalizar o comércio de chifres de rinocerontes menos de uma semana após a África do Sul abandonar uma proposta similar.

“A Suazilândia e Ted Reillu, conselheiro real sobre vida selvagem do Reino da Suazilândia e fundador do Big Game Parks Trust (Fundo para Parques de caças aos animais grandes), possuem um histórico em usar a vida selvagem como mercadoria, então não é nenhuma surpresa saber sobre esta proposta para vender os chifres dos rinocerontes do país”, disse Michael Harris, diretor do programa de Legislação de Vida Selvagem do Friends of Animals.

“Há pouca dúvida de que a recente venda de 17 elefantes da Suazilândia para três zoológicos nos EUA – Dallas, Omaha e Wichita – irá ajudar a financiar este empreendimento. A colaboração entre os zoológicos e Reilly – a qual eles chamaram de Room for Rhinos (Espaço para os Rinocerontes) – ajudou a Suazilândia a exportar os elefantes e agora irá ajudar a aumentar a produção de chifre de rinoceronte. Independentemente dos zoológicos estarem cientes de que Reilly estava trabalhando nesta proposta, eles deveriam estar envergonhados agora por terem ajudado a contribuir para a mesma e por serem seus parceiros”.

Em um documento endereçado para a Convention on International Trade in Endangered Species (Cites – Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Extinção), o departamento anti-caça da Zualilândia disse que queria vender o estoque do país de 330kg de chifres coletados de animais que morreram naturalmente e confiscados de caçadores. Este alega que a venda para os mercados de medicina tradicional do Extremo Oriente geraria U$ 9,9 milhões, que seriam usados para proteger os 73 rinocerontes brancos em dois parques.

A Suazilândia também propôs vender um extra de 20kg por ano, levantando U$600.000, ao pegarem chifres de manadas vivas, alegando que o dinheiro ajudaria a pagar melhores salários para os guardas-florestais e custear as despesas de infraestrutura e equipamento necessários para manter seus parques de rinocerontes funcionando. Sabendo que o desrespeito da Suazilândia pela sua vida selvagem poderia criar um precedente para outros países africanos lucrarem com seus elefantes selvagens, a FoA continua firme na prevenção da transferência de elefantes africanos para zoológicos norte-americanos no futuro.

Fonte: Friends of Animals

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.