ONG Faunamiga encontra égua morta em córrego no Loteamento Parizotto, em Capinzal, SC

ONG Faunamiga encontra égua morta em córrego no Loteamento Parizotto, em Capinzal, SC

Um caso de maus-tratos e abandono animal foi registrado pela ONG Faunamiga nesta segunda-feira (02). O animal, uma égua, foi encontrado morto em um córrego no município no Loteamento Parizotto, em Capinzal. O caso começou a cerca de 20 dias, quando a ONG ofereceu assistência ao tutor do animal, que mantinha a égua presa em frente a residência, mas o homem negou a ajuda.

De acordo com a ONG, nesta segunda, foram tomadas a providências contra o cidadão e a Polícia Ambiental foi procurada para tratar da remoção do animal e lá, orientaram que a Vigilância Sanitária do município fosse acionada, pois seria da competência desse órgão. Na Vigilância Sanitária a orientação foi que deveriam procurar a Vigilância Epidemiológica e lá, também disseram que não eram responsáveis pelo caso. A ONG recorreu então a Cidasc que informou que são convocados quando necessita fazer exames e laudos, e que não seria este o caso.

Até o momento o animal continua no córrego e a Faunamiga pede que seja tomada uma solução, pois trata-se de um caso de de saúde pública e o animal está num local que dá acesso a rios do município. A ONG está com um processo “contra este cidadão que negligenciou a saúde do seu animal e todo o resto”.

Confira a nota na íntegra:

“DESCASO ❌ MAUS TRATOS ❌ NEGLIGÊNCIA ❌
Tudo num pacote só! Essa é a triste realidade de animais que não conseguem se defender da maldade humana! Essa égua que tem dono e é morador do Loteamento Parizotto, há 20 dias atrás o tutor estava com este animal amarrado em via pública em frente à sua casa, ao ser abordado pela Faunamiga o mesmo justificou que a égua estava ali por que ele iria desverminar ela e em seguida levaria pro potreiro. Oferecemos a ele um acompanhamento veterinário, sugerimos colocar ela em um campo para que recebesse assistência, o mesmo se negou. No dia de ontem recebemos a notícia de que essa égua estaria morta dentro de um córrego no Parizotto, e lá estava o pobre animal já em estado de decomposição.

Acionamos a polícia militar para a confecção do Termo Circunstanciados, pois o tutor não nos recebe em momento algum para esclarecer os fatos.

No momento em que soubemos do caso acionamos a Polícia Ambiental que nos orientou a Comunicar o caso a Vigilância Sanitária do município que seria de competência deste órgão, fomos até lá e eles falaram que não era com eles e sim na Epidemiológica, lá falaram que também não era com eles, até questionaram se não era nosso problema! Não, isso não é caso de ONG apenas. Então, recorremos a Cidasc que nos informou que eles são convocados quando necessita fazer exames e laudos, e que não seria este o caso. Enfim até o momento a responsabilidade de saúde pública não é de ninguém, pois o animal está num córrego que dá acesso a rios do município. Solicitamos a secretaria de agricultura para que fizesse a retirada do animal do córrego dando o destino correto. Resumindo: a Faunamiga está com processo contra este cidadão que negligenciou a saúde do seu animal e todo o resto não sabemos o que vai acontecer e se vai, pois nós também não sabemos quem é o órgão municipal responsável por fatos como este.”

Fonte: Michel Teixeira Notícias

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.