ONG faz campanha com cartas para ajudar animais abandonados no TO

ONG faz campanha com cartas para ajudar animais abandonados no TO
Foto: Reprodução Internet

Aproveitando o clima de Natal, uma ONG de Araguaína, na região norte do Tocantins, iniciou uma campanha para beneficiar animais de estimação que foram abandonados ou maltratados pelos antigos donos. Uma carta é feita para cada animal com pedidos feitos de acordo com a necessidade de cada bicho: como ração, remédios e contribuição em dinheiro.

As cartinhas são divulgadas com os nomes e fotos, como se os pedidos fossem escritos pelos próprios animais. “Me chamo Fifi, estava desamparada com enorme barrigão quando fui acolhida pela ONG. Tive seis filhotinhos. Fomos cuidados com muito amor e carinho. Pude amamentar até que meus filhotes estivessem prontos para adoção. Pode ajudar a ONG com R$ 15?”, diz uma cartinha.

Outra cartinha possui fotos comparativas de um cão quando chegou ao local e como ficou após trabalho de recuperação.

“Sou o Mike! Passei pelo abandono, fui encontrado magro e cheio de sarna, mas tive uma nova oportunidade quando a ONG me acolheu e cuidou muito bem de mim. Hoje estou totalmente recuperado e saudável, porém para que outros animais também tenham a chance que tive, a ONG conta com a ajuda de colaboradores. Pode ajudar com ração?”.

Segundo a Ong Anjos de 4 Patas, que resgatou mais de 50 cães e gatos desde o início do ano, cada animal tem uma história diferente de superação.

A presidente da ONG, Daniele Amorim, conta que a iniciativa é para dar continuidade ao trabalho de resgate. “Nós ajudamos animais que outras pessoas também resgatam, que estão abandonados e que são carentes. Tudo é para custear os tratamentos para que nossos animais possam continuar sendo resgatados”, afirma.

Pedidos em cartinhas são de acordo com a necessidade de casa bixo (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Pedidos em cartinhas são de acordo com a necessidade de casa bixo (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Fonte: G1 (com informações da TV Anhanguera)

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.