ONG vai investir mais de R$ 1,8 milhão em centro de recuperação de animais de Araçatuba, SP

ONG vai investir mais de R$ 1,8 milhão em centro de recuperação de animais de Araçatuba, SP
O presidente da Mata Ciliar, Jorge Bellix de Campos, durante ratificação da parceria com a Unesp

A ONG (Organização Não Governamental) Associação Mata Ciliar, de Jundiaí, vai investir mais de R$ 1,8 milhão no Ceretas (Centro de Recuperação e Triagem de Animais Silvestres), da Faculdade de Medicina Veterinária da Unesp (Universidade Estadual Paulista), em Araçatuba. A assinatura do convênio ocorreu na terça-feira (13), com validade para cinco anos, podendo ser prorrogado pelo mesmo período.

Neste período, a associação – que possui sede administrativa e viveiro de mudas em Pedreira e unidade operacional de fauna e educação ambiental em Jundiaí – destinará R$ 1.815.900,00 para o custeio de medicamentos, alimentação dos animais e com o pagamento de funcionários, enquanto a Unesp disponibilizará R$ 492 mil para gastos com água, luz, telefone e material de aula, totalizando R$ 2.307.900 durante os cinco anos.

Concessionária

A Via Rondon, que administra o trecho da rodovia Marechal Rondon (SP-300), destina, anualmente, R$ 17 mil para o custeio do centro. No entanto, o convênio, com duração de três anos, termina agora em 2018. A reportagem entrou em contato com a concessionária para saber se há o interesse de renovar a parceria, entretanto, não obteve resposta.

O dinheiro que mantém a ONG Associação Mata Ciliar vem da ajuda de padrinhos que participam dos programas realizados, de pequenas e grandes empresas parceiras e também do poder público. Os trabalhos da associação com a fauna tiveram início em 1997, por meio do CRAS (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) e com o Centro para Conservação dos Felinos Neotropicais.

GASTOS

De acordo com o diretor da faculdade, Max José de Araújo Faria Júnior, a expectativa é de que, mensalmente, seja gasto R$ 38.465,00. “A assinatura do convênio é um marco para a Unesp e, principalmente, para a região. A Associação Mata Ciliar tem uma longa experiência na recuperação da fauna e de animais silvestres e essa parceria trará inúmeros benefícios”, disse.

Segundo Faria Júnior, o início das conversações ocorreram em maio do ano passado, quando ele visitou a unidade em Jundiaí. “A partir daí, fomos negociando essa parceria, que culminou na assinatura hoje (terça-feira) deste convênio que espero que seja por muito tempo”, destacou.

A expectativa é que as atividades do Ceretas sejam retomadas já no próximo mês. O presidente da Mata Ciliar, Jorge Bellix de Campos, citou que a responsabilidade em dar sequência ao serviço que era feito no centro será de grande responsabilidade. “Para a ONG, essa parceria é uma grande conquista, pois sabíamos a situação em que se encontrava o Ceretas e, com isso, queríamos, de alguma forma, ajudar a retomar o projeto”, explicou.

Ele destacou que, inicialmente, o convênio ajudará na questão de logística, pois os animais silvestres não precisarão mais se deslocar 500 quilômetros para conseguir tratamento veterinário. Isso porque, sem o serviço do Ceretas, os animais da região acabavam indo para o Cras.

O reitor da Unesp, Sandro Roberto Valentini, participou da assinatura do convênio e observou que a parceria é a soma dos esforços entre a ONG e a instituição na causa ambiental. “É uma atitude muito importante e contribuirá no processo e formação dos futuros médicos-veterinários. Desejo sucesso e que seja eficiente”, finalizou.

Custo mensal é estimado em R$ 38,46 mil, totalizando R$ 2,3 milhões em cinco anos. Foto: Alexandre Souza/Folha da Região
Custo mensal é estimado em R$ 38,46 mil, totalizando R$ 2,3 milhões em cinco anos. Foto: Alexandre Souza/Folha da Região

Por Ivan Ambrósio

Fonte: Folha da Região

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.