Operação apreende 13 aves criadas ilegalmente no centro do Varjão, no DF

Operação apreende 13 aves criadas ilegalmente no centro do Varjão, no DF

O Ibama e o Instituto Brasília Ambiental (Ibram) fizeram uma operação nesta segunda-feira (27) no centro do Varjão, no Distrito Federal. O objetivo era apreender animais silvestres criados ilegalmente em cativeiro na região.

Após receberem denúncia anônima, os órgãos fizeram um “pente fino” na área e apreenderam 13 aves. Ao todo, Ibama e Ibram aplicaram R$ 6.500 em multas, mas ninguém foi preso. Entre as espécies, um corrupião estava gravemente ferido na cabeça.

Segundo os fiscais do Ibama, o pássaro foi capturado já adulto e teria se machucado ao tentar fugir da pequena gaiola em que estava. Além do corrupião, outros dois coleros estavam na casa de Sérgio Francisco dos Santos. Ele alegou aos agentes do Ibram que “não sabia de nada”.

Em um sobrado próximo, os agentes e fiscais que participaram da operação encontraram ainda um morador que cruzava pássaros silvestres com domésticos. Em outro endereço, o dono tentou barrar a entrada da equipe. Dentro do terreno foram encontrados dois azulões.

Ainda durante a fiscalização, os órgãos encontraram um pássaro preto, também proibido em cativeiro. No momento em que acharam o animal, ninguém estava perto. Porém, pouco depois, identificaram o homem que havia soltado o pássaro para fugir dos fiscais.

Todos os animais apreendidos foram levados para o Cetas (Centro de Triagem de Animais Silvestres), onde vão passar pela avalição dos veterinários e, em seguida, serão soltos.

Velho conhecido

Pássaros criados ilegalmente em cativeiro encontrados no Varjão, no DF (Foto: Edson Ferraz/TV Globo)

No fim da operação, os agentes resolveram visitar seu José Serafim, um “velho conhecido” da fiscalização. Ele foi preso em janeiro deste ano com 1.600 pássaros em casa. Na época, o endereço tinha centenas de passarinhos e viveiros até no teto.

Nesta segunda, os fiscais entraram novamente na casa de Serafim. Foram encontrados três papa-capins, aves silvestres e um galo de rinha. Além disso, foi apreendido um equipamento usado para falsificar anilhas, pulseiras de metal usadas na identificação de pássaros legalizados.

Por Edson Ferraz

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.