Operação Bem-Te-Vi: cinco presos, 87 animais resgatados e R$ 133 mil em multas

Operação Bem-Te-Vi: cinco presos, 87 animais resgatados e R$ 133 mil em multas
Dez lagartos foram encontrados em residência no Jardim Anhanguera (Fotos: Carlos Nogueira/A Tribuna)

Aves em extinção, tartarugas exóticas, cobras raras e lagartos que podem medir 2 metros de comprimento foram resgatados durante operação no Bairro Jardim Anhanguera, em Praia Grande, na segunda-feira (6). Cinco pessoas foram presas e 14 autos de infração, que somam R$ 133 mil em multas, foram aplicados.

Ao todo, 87 animais silvestres em condições irregulares foram recolhidos, dos mais de 100 localizados e examinados pelas equipes. Foram necessárias quase seis horas para vistoriar 12 residências na Avenida Filomena Mustach, alvos de mandados de busca e apreensão expedidos pela 1ª Vara Federal de São Vicente.

Tartaruga mordedora, nativa dos Estados Unidos, foi localizada

A operação foi chamada de Bem-Te-Vi e envolveu órgãos federais e estaduais, após investigação ocorrida nos últimos dois meses apontar indícios de crime ambiental na região. Segundo o delegado da Polícia Federal Dirceu Lopes, responsável pela operação, os crimes foram constatados em oito dos alvos inicialmente apontados.

Ex-militar 

Um dos flagrantes envolveu um ex-militar do Exército, de 20 anos, que serviu em 2014 no 2º Grupo de Artilharia Antiaérea, no Forte de Itaipu. Com ele estavam 19 animais, sendo 10 lagartos teiú (da família Tupinambis), que podem medir até 2 metros, e uma tartaruga mordedora (Chelydra serpentina), nativa dos Estados Unidos.

Ex-militar desviou munições após servir na Forteleza de Itaipu

O rapaz também tinha em casa três cobras, entre elas uma jiboia arco-íris (Epicrates cenchria assisi), considerada rara e que no mercado externo chega a ser comercializada por valores acima dos R$ 10 mil. O tenente da Polícia Militar Ambiental, Marcus Vinicius Donato, informou que ele foi multado em R$ 33.200,00.

Se não bastasse, também foi localizado com o ex-militar porções de maconha e uma garrucha, além de munições de três calibres, inclusive fuzil. Aos policiais, ele assumiu ter as “desviado” do arsenal do forte. Em nota, o comando da unidade disse que vai instaurar “procedimento administrativo” para apurar o que ocorreu.

Pássaros foram localizados na maioria das residências vistoriadas

Em outra residência um homem de aproximadamente 40 anos foi multado em R$ 44 mil por manter 17 animais em casa sem autorização. Este foi a maior penalidade da operação. Além dele estar com duas aves da  espécie azulão (Cyanocompsa brissoni), em extinção, havia ainda sete ovos de canário da terra (Sicalis flaveola).

Anilhas de aves

O chefe da agência de Santos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Fabio Zucherato, informou 21 anilhas para identificação de aves foram apreendidas. Treze delas são adulteradas. Laudos em conjunto com a Secretaria Estadual de Meio Ambiente vão verificar a legitimidade dos demais.

Agentes ambientais verificaram a autenticidade de anilhas nas aves

A operação também resultou no resgate de pássaros da espécie pixoxó (Sporophila frontalis), em extinção, e de uma tartaruga tigre d’água  (Trachemys dorbigni), nativa do Sul do País. Entre os envolvidos identificados, investigações vão determinar quais as circunstâncias da aquisição desses animais e se, a partir dali, eles eram vendidos a terceiros.

O ex-militar foi o único ficar preso por portar arma, drogas e munição. Os demais foram liberados e responderão em processos na Justiça Federal. Se condenados, poderão ficar presos por até três anos. Os animais nativos da fauna brasileira serão soltos do Parque Ecológico do Tietê, na Capital. A destinação dos exóticos ainda não foi definida.

Operação Bem-Te-Vi envolveu quatro órgãos estaduais e federais

Por José Claudio Pimental 

Fonte: A Tribuna 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.