Operação resgata 19 pit bulls vítimas de maus-tratos em residência, em Goiânia, GO

Operação resgata 19 pit bulls vítimas de maus-tratos em residência, em Goiânia, GO
Família vivia do lucro obtido com a venda dos cães. Condições eram degradantes (Foto: reprodução/Deam)

Dezenove pit bulls, oito deles filhotes, foram resgatados de uma residência no Setor Leste Vila Nova na manhã desta segunda-feira (19). Os animais viviam em situação de maus tratos, sem água, comida, segurança e higiene.

Márcio Adriano Barbosa de Oliveira (39), dependente químico, e a mãe, cadeirante, identificada apenas como Inês viviam na casa e foram atendidos por uma assistente social. Os cães, alguns deles machucados, foram recolhidos e encaminhados ao Centro de Zoonoses, onde foram alimentados e irão passar por tratamento e aguardar adoção.

Cães foram levados ao Centro de Zoonoses (Foto: reprodução/Deam)
Cães foram levados ao Centro de Zoonoses (Foto: reprodução/Deam)

Ao chegarem no Centro de Zoonoses, os cães se alegraram, segundo o titular da Delegacia Estadual do Meio Ambiente (Deam), Luziano Carvalho. “Eles pulavam de felicidade, parece que nunca tinham visto comida antes. A gente fica até alegre de ver”.

Segundo ele, a venda dos cães era a única fonte de renda da família e as condições do local onde os dois viviam eram sub-humanas. “O local não tinha nenhum móvel, apenas um pedaço de uma geladeira. Havia fezes e urina espalhadas por toda a casa. Aquilo ali não era vida, nem pra eles nem para os animais. As condições eram degradantes”. Os moradores da residência foram atendidos por uma assistente social, que compunha a operação.

Agentes constataram sujeira e condições sub-humanas de vida no local (Foto: reprodução/Deam)
Agentes constataram sujeira e condições sub-humanas de vida no local (Foto: reprodução/Deam)

Luziano avaliou que a casa não recebia fornecimento de energia e nem de água. “Difícil acreditar que morava uma senhora cadeirante lá. As pernas dela estavam todas inchadas. Não tinha conforto e nem condições para limpar o local. Uma tristeza”.

Muros e cercas baixos e danificados faziam a contenção dos animais. De acordo com o delegado, essa era uma situação que gerava insegurança, uma vez que os cães não eram devidamente alimentados. “Faminto, qualquer animal fica perigoso. A qualquer momento eles poderiam atacar transeuntes ou a própria família”.

Vídeo mostra a imundície no interior de um dos cômodos da casa. Confira clicando aqui.

Segundo Luziano, a casa passou por uma inspeção em novembro de 2017, quando as irregularidades e a situação social degradante foram detectadas. “Voltamos recentemente à residência e constatamos que a situação ainda era a mesma ou semelhante. Desse modo pedi autorização ao Ministério Público e à Justiça, para que a operação fosse realizada. Era urgente”.

Por Hugo Oliveira

Fonte: Mais Goiás

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.