Organizações de proteção animal se comprometem a realojar galgos de corrida na Nova Zelândia

Organizações de proteção animal se comprometem a realojar galgos de corrida na Nova Zelândia
As principais organizações de proteção animal estão se comprometendo a facilitar o realojamento dos galgos de corrida. Foto do arquivo.

O último dia 20 marcou um momento crucial na campanha para acabar com as corridas de galgos na Nova Zelândia, já que Dogwatch, HUHA, SAFE e SPCA anunciaram o compromisso de ajudar a indústria a realojar os galgos.

Publicada no The Post, a declaração conjunta descreve o compromisso em facilitar o realojamento dos galgos caso seja decretada a proibição das corridas.

O chefe de investigações da SAFE, Will Appelbe, diz que as corridas de galgos estão sob escrutínio há muito tempo por seus riscos e danos inerentes aos cães envolvidos.

“Duas análises afirmaram que as corridas de galgos são inerentemente perigosas, levando a pedidos crescentes para o seu fim”.

O diretor científico da SPCA, Dr. Arnja Dale, diz que a SPCA gostaria que todos os galgos desfrutassem de um futuro melhor como animais de estimação tão amados pela família.

“A hora de tomar uma decisão sobre o futuro da indústria é agora. Não podemos continuar com o ciclo repetido de exposições e avaliações péssimas da indústria. Os galgos merecem coisa melhor.”

Em 2021, os Ministros responsáveis ​​pelas Corridas e pelo Bem-Estar Animal emitiram um ultimato à indústria, sinalizando que melhorias significativas devem ser feitas ou então enfrentaremos o encerramento. A indústria de corridas de galgos permanece alerta.

O sentimento público alinha-se fortemente com o apelo ao encerramento, com uma recente sondagem independente encomendada pela SPCA revelando que surpreendentes 74 por cento dos neozelandeses votariam a favor da proibição das corridas de galgos.

“Esta iniciativa sublinha o compromisso dos defensores dos animais em salvaguardar o bem-estar destas criaturas gentis e proporcionar-lhes a segunda oportunidade que merecem por direito”, disse a executiva-chefe da HUHA, Carolyn Press-McKenzie.

“Nosso compromisso sinaliza uma abordagem proativa para abordar as preocupações com o bem-estar dos galgos e garantir sua transição para lares amorosos”, disse Bridget Paterson, gerente geral do Dogwatch Sanctuary Trust.

“A Nova Zelândia deve aproveitar esta oportunidade para liderar a defesa dos direitos e da dignidade dos galgos, estabelecendo um precedente de compaixão e empatia que repercutirá nas gerações vindouras.”

Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: SunLive

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.