Os 101 ursos salvos de uma fazenda de extração de bílis

Os 101 ursos salvos de uma fazenda de extração de bílis

101 ursos negros asiáticos salvos de uma quinta de extração de bílis foram transferidos para um santuário, o único existente na China.

Em 2013, o novo proprietário da quinta de extração de bílis em Nanning no sul da China não quis fazer parte da indústria de um liquido considerado medicinal em muitos países orientais e pediu ajuda ao grupo de proteção animal “Animals Asia”.

Após 8 anos de planeamento, requerimentos e autorizações. A operação começou. Os 101 ursos, dos 130 que a quinta albergava no início, foram finalmente levados em 26 camiões. 

Com todo o cuidado, depois de décadas em cativeiro, submetidos à extração do fluido produzido pelo fígado, fizeram uma viagem de 1250 quilómetros entre Nanning até ao santuário em Chengdu.

A operação decorreu em três fases entre 19 de abril e 27 de maio.

A fundadora da Animals Asia, Jill Robinson, desabafa ao referir que “aconteceu, o momento pelo qual esperámos oito longos anos. Conseguimos trazer os ursos da lua para casa. Não teríamos conseguido sem a nossa incrível equipa de veterinários na China, sem a ajuda das autoridades locais e sem a ajuda das comunidades locais”.

A bílis de urso, usada em vários países como medicamento começa a ser proibida, já há alternativas sintéticas. Muitos destes animais passam décadas em jaulas, apertados, maltratados, no meio de excrementos, e alvo de procedimentos cirúrgicos pouco recomendáveis por pessoas negligentes e sem qualificação.

Estes ursos não podem ser devolvidos à natureza, estão com a saúde debilitada.

Um final feliz para uma centena de animais, mas existem muitas mais outras histórias, não contadas, que não acabam assim.

Por Michel Santos  

Fonte: Euronews / mantida a grafia lusitana original 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.