Os cães deixados sozinhos em casa ficam mesmo em sofrimento

Os cães deixados sozinhos em casa ficam mesmo em sofrimento
Foto: viggum / Flickr

Segundo um estudo da equipa de comportamento canino do abrigo para cães e gatos Battersea Dogs & Cats Home, no Reino Unido, os cães que ficam sozinhos em casa ficam realmente em sofrimento, com batimento cardíaco e respiração acelerados e uma grande libertação de hormonas associadas ao stress, como o cortisol.

“O período mais stressante para a maioria dos cachorros é a primeira meia hora sem os donos. Porém, em alguns cães este elevado nível de ansiedade pode durar todo o tempo  em que estão sozinhos”, explicam os especialistas.

Os sinais mais comuns de sofrimento com o isolamento são vocalizações de protesto e comportamento destrutivo. Outros sinais mais discretos são andar sem parar num corredor ou junto a uma parede, por exemplo, ou salivar excessivamente. Alguns cães urinam no chão como forma de tentar aliviar o stress.

“Os cães são animais sociais, pelo que é difícil ter a certeza do que estão a pensar quando são deixados sozinhos”, acrescentam os especialistas. “Não sabemos se eles pensam que foram abandonados para sempre, ou se apenas são incrivelmente carentes. Também é possível que alguns não estejam com medo, mas sim muito entediados”.

Tal como os seres humanos, alguns cães lidam melhor com o stress, enquanto outros não conseguem gerir o problema. Segundo a ONG britânica Blue Cross, alguns cães chegam mesmo a desenvolver síndromas de ansiedade por separação ou depressão.

O que fazer?

Segundo os especialistas do abrigo de cães, a melhor altura para ensinar o seu cão que ficar sozinho não o fim do mundo é quando eles são filhotes.

“Durante o período crítico de socialização dos filhotes, por volta da décima quarta semana de vida, todos os cães conseguem aprender que não há problema em ficar sozinho”, diz um dos especialistas de comportamento canino do Battersea Dogs & Cats Home.

Arranjar um companheiro canino para o seu cão pode ajudá-lo ou atrapalhá-lo. É possível que um cão mais calmo ajude a acalmar o cão que fica stressado, mas também é possível que o inverso aconteça.

O melhor a fazer é aumentar o tempo em que os filhotes ficam sozinhos, para que se habitem gradualmente a ficar sozinhos. Uma técnica interessante é, na altura de sair, deixar uma caixa com brinquedos, petiscos e objectos que podem ser destruídos, como rolos vazios de papel higiénico.

Nos primeiros exercícios, não é recomendado deixar o filhote sozinho por mais de vinte minutos. Deve então sair de casa de modo confiante, sem ficar a olhar para trás ou interagir com o cachorro.

E ao voltar a casa, o dono deve recolher a caixa e todos os seus objectos, para que o cão veja que aquela caixa de felicidade só está disponível quando o dono estiver fora de casa.

Fonte: ZAP aeiou (com informações de HypeScience)

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.