Os terríveis segredos por trás da indústria de criação de cavalos “puro-sangue”

Os terríveis segredos por trás da indústria de criação de cavalos “puro-sangue”

Por Karyn Boswell / Tradução Alice Wehrle Gomide

Em um dia de verão no final de agosto, nos EUA, um cavalo puro-sangue de quatro anos de idade se achava nos lotados cercados da Casa de Leilão New Holland, em Pennsylvania – uma casa de leilão bem conhecida frequentada pelos mais baixos compradores assassinos. Junto de muitos outros cavalos abandonados por seus antigos tutores e descartados como lixo, ele esperou. Sendo um cavalo que já valeu U$ 300.000 no seu primeiro ano de vida, a etiqueta do seu preço agora era comparada somente pelo seu valor em carne. Só há um destino para a maioria dos cavalos nesta situação – uma viagem a um matadouro no Canadá.

Para Grand Strand, um final feliz estava bem próximo graças a um número de dedicados ativistas que bravamente deram um lance maior do que o comprador matador e o compraram por apenas U$ 950, e deram a ele uma segunda chance na vida. A história de Grand Strand é comum entre a indústria dos puros-sangues e um lembrete da triste verdade por trás dos ex-cavalos de corrida não mais desejados.

A indústria dos cavalos puro-sangue

EUA puro sangue1

A indústria dos puros-sangues nos Estados Unidos é uma indústria obscura, manchada pela decepção e mentira. Milhares de cavalos são feridos todos os anos, alguns fatalmente, pelo simples propósito do entretenimento e do “esporte”. Cavalos criados para corridas são forçados a aguentar métodos rigorosos de treinamento, drogados para diminuir a dor, abusados, levados ao extremo e, no final, descartados na fila do matadouro quando não dão mais lucro. É uma triste indústria guiada pela ganância.

Voltamos a 2013 e um cavalo chamado Backstreet Bully. Assim como Grand Strand, ele era um cavalo de quatro anos fora das corridas, originalmente propriedade e criado por Adena Springs, uma fazenda de criação de puro-sangue, e também um líder no movimento para encontrar novas profissões para os cavalos de corrida aposentados.

Em algum lugar no meio do caminho, as coisas se tornaram terríveis para Backstreet Bully, e ele se encontrou no cercado da casa de leilão, destinado ao matadouro pela sua carne. Apesar das repetidas tentativas de salvá-lo, o comprador matador deu um lance maior e também não concordou em vender o jovem cavalo. Ele tinha sido erroneamente designado como um cavalo “somente para carne” apesar de seu passado no mundo das corridas. Seus registros de medicamentos claramente indicavam que sua carne não era apropriada para consumo humano devido à alta presença de medicamentos. A prova inegável foi simplesmente ignorada pelo comprador, assim como pelos veterinários da Agência Canadense de Inspeção dos Alimentos que trabalhavam no matadouro.

Todos esses esforços não conseguiram impedir o comprador matador de encher sua carga de cavalos com destino ao matadouro naquele dia. Em janeiro de 2013, Backstreet Bully foi morto no matadouro em Quebec, no Canadá, apesar de todos os gritos e protestos. Para um cavalo com tanta vida e potencial pela frente, sua história nunca será esquecida e é um severo lembrete de como os cavalos são maltratados na sociedade. Ainda bem que para Grand Strand, sua vida foi salva no último momento.

O resgate de Grand Strand

EUA puro sangue2

Mindy Lovell, do Transition Thoroughbreds, um lugar dedicado a resgatar, reabilitar e encontrar novos lares para cavalos fora das corridas, localizado em Ontário, no Canadá, é a principal interveniente no mundo do resgate de cavalos, e foi responsável por salvar muitos cavalos fora das corridas ao longo dos anos. Naquele dia de agosto, ela foi contatada a respeito do cavalo de quatro anos de idade que estava prestes a entrar no palco da casa de leilão em New Holland.

Tendo como base nada mais do que a tatuagem no lábio, Lovell rapidamente conseguiu identificar o cavalo como Grand Strand – um cavalo com uma linhagem magnífica. Os planos foram rapidamente colocados em ação por Lovell e seu contato de New Holland para dar um lance maior do que o comprador. Elas tiverem sucesso e, por U$ 950, a vida de Grand Strand foi salva.

Ele logo fará a viagem para o Canadá para seu novo lar em Transition Thoroughbreds – uma vida livre de tormentos e repleta de promessas. Generosamente, todo o custo do resgate e transporte será coberto pelo seu antigo treinador, ao qual havia sido dito que Grand Strand tinha ido morar em um local respeitável. Ele claramente tinha sido enganado. Criação impecável e linhagem de primeira não são suficientes para evitar que um cavalo encontre seu caminho para um matadouro – um destino mais do que comum para milhares de ex-cavalos de corrida a cada ano.

Como você pode ajudar

As histórias de Backstreet Bully e Grand Strand correm em paralelo – ambos foram criados para uma vida de corridas e ambos foram cruelmente descartados na fila do matadouro sem ninguém nem olhar para trás. Grand Strand foi um dos animais sortudos, salvo de um fim terrível graças a indivíduos gentis e compassivos. Ele não foi o primeiro e nem será o último. Entretanto, você pode ajudar.

Não apoie a indústria das corridas de cavalos de forma alguma. Eduque a si mesmo e aos outros sobre o tratamento dos cavalos usados para fins de entretenimento. Apoie seus santuários e protetores locais. E, se puder, vá a um leilão e ajude a salvar os cavalos não mais desejados antes que eles terminem nas mãos de um comprador matador e acabem no matadouro.

“A ideia de que algumas vidas importam menos do que outras é a raiz de tudo que está errado com o mundo.” – Dr. Paul Farmer

Fonte: One Green Planet

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.