PAN é o único partido português que defende a proibição das touradas

PAN é o único partido português que defende a proibição das touradas

A conclusão é da Associação Vida Animal, a partir das respostas dos partidos a um conjunto de perguntas feitas por esta organização.

Por Barbara Baldaia

Portugal ilegalizacao touradas

No levantamento feito pela Associação Vida Animal, o PAN é o único partido que assume a defesa da “abolição de quaisquer eventos tauromáquicos”.

Partidos como o Bloco de Esquerda e o Livre propõem o “fim dos subsídios públicos para a atividade e, no caso dos bloquistas, o fim da sua exibição na televisão pública”. Com grande implementação no Alentejo, o PCP, segundo a Associação Vida Animal, apresentou uma “resposta vaga” ao inquérito feito por esta organização, “não assumindo uma posição contra nem a favor da tauromaquia”.

Bebiana Cunha, do PAN Pessoas-Animais-Natureza, mostra a posição firme do partido: o sofrimento animal não pode ser espetáculo. “Para nós é inconcebível manter uma tradição medieval em que se condiciona o animal a um espaço fechado onde é torturado para causar entretenimento às pessoas”, diz a cabeça de lista pelo Porto.

De acordo com o PAN, “cerca de 16 milhões de euros são atribuídos de forma direta ou indireta à tauromaquia”. O partido diz que essas verbas têm que ser utilizadas “noutras formas de cultura” e rejeita o argumento dos que defendem a tradição: “As tradições refletem o grau de evolução da sociedade e portanto não é mais aceitável que a tortura do animal seja considerada uma tradição. As pessoas podem divertir-se sem ter que subjugar um animal à tortura”.

Quanto aos trabalhadores da área tauromáquica, o PAN propõe que a sua atividade possa ser “convertida em algo benéfico para a sociedade, como a agricultura biológica”.

Fonte: TRF Notícias (Portugal) / mantida a grafia original

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.