PAN questiona autarquia sobre morte em ‘Chega de Bois’ em Vieira do Minho, Portugal

PAN questiona autarquia sobre morte em ‘Chega de Bois’ em Vieira do Minho, Portugal

A Comissão Política Distrital de Braga do PAN, Pessoas-Animais-Natureza, recebeu diversas denúncias relativamente à realização de uma chega de bois, no âmbito da edição de 2021 da Agrovieira.

Segundo as denúncias, no final da chega de bois um dos animais terá, alegadamente, sucumbido com os ferimentos sofridos.

“A realização deste tipo de eventos deve, obrigatoriamente, garantir a segurança e bem-estar dos animais, sendo estes uma obrigação da entidade organizadora. “Afirma Rafael Pinto, porta-voz Distrital, acrescentando: “Defendemos a abolição de todas as práticas de entretenimento que atentem contra o bem-estar animal. A confirmar-se, esta situação demonstra claramente os riscos das chegas de bois, para todos os envolvidos”.

Paralelamente, enquanto estas atividades não são abolidas, o PAN defende que estas não devem ser financiadas com dinheiro público e relembra que o Comité dos Direitos da Criança da ONU já se pronunciou para que os Estados adotem medidas de sensibilização sobre a violência física e mental associada à tauromaquia e o seu impacto nas crianças.

“Durante o tempo em que decorrem estas ações as crianças estão expostas e observam estas práticas como sendo naturais, além de correrem também elas risco de vida ou ofensa à sua integridade física.” reitera Rafael Pinto, concluindo”. Também a Ordem dos Psicólogos já lançou um parecer salientando a exposição à violência ou a atos interpretáveis como violentos não é benéfica para as crianças ou para o seu desenvolvimento saudável, podendo inclusivamente potenciar o aparecimento de problemas de Saúde Psicológica”.

Neste sentido, o partido endereçou um conjunto de perguntas ao executivo por forma a obter esclarecimentos sobre a realização desta atividade, nomeadamente que medidas foram adotadas durante o evento para garantir a segurança dos animais, se a presença de um médico veterinário durante a realização foi assegurada, quantos animais foram utilizados neste evento e qual o valor financeiro atribuído pelo executivo para a realização desta atividade.

Fonte: Semanário / mantida a grafia lusitana original


Nota do Olhar Animal: A “Chega de Bois” (ou de touros) consiste em colocar dois animais lutando entre si, atividade que movimenta dinheiro em apostas que beneficiam especialmente os criadores. Os defensores da atividade a descrevem como uma “inocente” confrontação de forças entre os animais, colocados cabeça contra cabeça e que raramente gera danos aos bichos. Mas a realidade é a descrita na matéria, de ferimentos e mortes dos bois.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.