Papagaio do manguem

Papagaio é entregue a órgão ambiental após 25 anos de cativeiro em PE

Uma reportagem sobre o trabalho realizado pelo Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara) fez com que Rosimery de Souza deixasse sua casa, na Madalena, Zona Oeste do Recife, para realizar a entrega de um papagaio à Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), na semana passada.

A ave era criada em cativeiro há 25 anos e agora passará por reabilitação no projeto Papagaio da Caatinga, para depois ser solta na natureza, onde viverá com outras e poderá reproduzir, ajudando a sobrevivência da espécie.

A dona de casa contou que o papagaio foi entregue há 25 anos a sua mãe por uma irmã que, na época, foi morar no Rio de Janeiro. A mãe faleceu há seis meses e o papagaio ficou, então, com Rosimery. No último dia 7, no entanto, ao assistir a uma reportagem na televisão, decidiu que o melhor seria entregá-lo à CPRH, para que o mesmo possa viver livre com outros da espécie e possivelmente formar uma família.

Quem cria ou comercializa animais silvestres pode responder na Justiça por crime ambiental, o que é desconsiderado no caso de entrega voluntária.

CETAS

O Cetas fica no Bairro da Guabiraba, Zona Norte do Recife, e tem aumentando muito suas estatísticas, com a ajuda das ações de Educação Ambiental e do reforço do combate ao tráfico por órgãos como a Cipoma – Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente. Se em 2016 o número de acolhimentos foi pouco mais de 5 mil, em 2017 pulou para 9.153 e, em 2018, chegou a 13.406.

Por Amanda Rainheri

Fonte: NE 10

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.