Para passagem de elefanta, fronteira entre Brasil e Argentina é reaberta após 49 dias

Para passagem de elefanta, fronteira entre Brasil e Argentina é reaberta após 49 dias
A elefanta está sendo transportada em um compartimento e será levada para o Santuário dos Elefantes (MT) — Foto: Christian Rizzi/PRF

A fronteira entre Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, e Puerto Iguazu, na Argentina, foi reaberta nesta segunda-feira (11) para dar passagem à elefanta Mara.

Conforme a PRF, a fronteira está fechada há quase 50 dias para a travessia de pessoas e veículos por causa da pandemia do novo coronavírus. Entretanto, foi reaberta para permitir a transferência do animal do zoológico de Buenos Aires, na Argentina, para o Santuário dos Elefantes, na Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso.

A elefanta será escoltada até o destino final pela PRF e é levada em um compartimento com janelas, que tem três metros de altura por cinco metros de largura.

Segundo a polícia, a previsão é de que o animal chegue ao santuário na quarta-feira (13). O transporte segue protocolo específico sanitário para a proteção da elefanta.

PRF fez a escolta da travessia da elefanta Mara pela Ponte Tancredo Neves, que faz fronteira entre Brasil e Argentina, nesta segunda-feira (11) — Foto: Christian Rizzi/PRF
PRF fez a escolta da travessia da elefanta Mara pela Ponte Tancredo Neves, que faz fronteira entre Brasil e Argentina, nesta segunda-feira (11) — Foto: Christian Rizzi/PRF
Quem é Mara?

De acordo com a equipe técnica que acompanha o animal, Mara tem entre 50 e 54 anos de idade e saiu do antigo zoológico da capital da Argentina no sábado (9).

A elefanta nasceu em um cativeiro na Índia e foi comercializada para outro cativeiro na Alemanha. Nos primeiros anos de vida, em 1970, foi levada para o Uruguai, onde permaneceu no Circo África.

Segundo a equipe técnica que acompanha o animal, Mara está em um compartimento específico e come por dia cerca de 100 quilos de vegetais — Foto: Christian Rizzi/PRF
Segundo a equipe técnica que acompanha o animal, Mara está em um compartimento específico e come por dia cerca de 100 quilos de vegetais — Foto: Christian Rizzi/PRF

Na sequência, passou a fazer parte do Circo Sulamericano, na Argentina. Com a falência do grupo, a elefanta foi levada ao zoológico argentino após uma ação judicial.

Segundo a equipe, Mara é monitorada permanentemente e come, em média, 100 quilos de verduras e legumes por dia.

Todos os cuidados do animal durante o percurso são realizados por profissionais que acompanham o animal.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.