Parada de ônibus ‘ganha’ abrigo contra frio para cães de rua em Ceilândia, DF

Parada de ônibus ‘ganha’ abrigo contra frio para cães de rua em Ceilândia, DF

Casinhas foram montadas por estudante no Sol Nascente, em Ceilândia. Cachorros têm cobertores, água e comida; população pode colaborar.

Uma parada de ônibus virou um abrigo público para para cachorros de rua que passam frio no Sol Nascente, em Ceilândia, no Distrito Federal, desde o início do inverno. Dentro das casinhas, os animais encontram cobertores, água e comida, a fim de se proteger durante o dia e a noite. A ideia é da estudante Talita Rocha, que escreveu um recado à população, pedindo que outras pessoas ajudem cuidar dos cães.

Autora da boa ação, a estudante conta que sentiu pena dos animais. “Só de eles estarem passando a noite quentinha nesse frio já está ótimo”, afirma. “Já que não posso levar eles para casa, posso dar um abrigo, o que comer e o que beber durante a noite e o dia.”

Ela explica que sozinha não consegue manter as casinhas para os cachorros, principalmente por conta dos gastos com a ração. Por meio de placas, pede que a população ajude a fazer o projeto dar certo. “Se as pessoas tiverem consciência ao ler a plaquinha, colocando água e ração todo dia, espero que o pessoal continue ajudando.” 

O veterinário Paulo Tabanez explica que os cachorros sofrem com o frio e podem ficar doentes, ainda que possuam uma temperatura corporal mais alta que a dos humanos. “A traqueobronquite infecciosa, chamada de tosse dos canis, é uma doença respiratória que apresenta tosses, espirros, chega a quase engasgar e vomitar por conta do esforço da tosse.”

Os cães contam também com a proteção do segurança José Augusto da Silva. “Eu sou o segurança particular aqui da galera. Se mexer com eles, arrumou problema”, brinca.

O eletricista Josafá Lopes aprova a atitude da jovem. “Tem gente boa no mundo ainda. Você vê que a pessoa teve o bom senso de fazer uma casinha para o cachorro que mora na rua, que fica na friagem o tempo todo.”

Fonte: G1

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.