Paraguai procura motociclistas que arrastaram cachorro em rodovia

Paraguai procura motociclistas que arrastaram cachorro em rodovia
Segundo informações das autoridades paraguaias, o animal já estava morto - Reprodução/redes sociais

A Direção Nacional de Defesa Animal do Paraguai pediu a ajuda dos moradores de Carapeguá, no Departamento de Paraguari, para encontrar dois homens que foram filmados em uma motocicleta arrastando um cachorro, preso por uma corda, em uma rodovia da cidade. O vídeo foi divulgado nas redes sociais nesta segunda-feira (21).

“Certa vez, insistimos sobre a importância de informar no portal se você presenciar crueldade contra animais ou abordar a delegacia mais próxima”, diz a instituição por meio de suas redes sociais. O texto é acompanhado pelo vídeo onde um cachorro é arrastado pelo pescoço, já sem vida.

Esta é segunda ocorrência de maus tratos contra animais no Paraguai em apenas uma semana. Na segunda-feira (14), um morador de Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia que faz fronteira seca com Ponta Porã, distante 346 km da capital, queimou dois cachorros ainda vivos.

A denúncia foi recebida por uma advogada, que confirmou o crime indo até o local onde o homem mora com mais dois animais. Ao chegar na residência, encontrou o suspeito sentado em frente ao imóvel, e questionou se ele teria colocado fogo nos cães.

O homem confirmou e disse que cometeu o crime por morar sozinho e não ter condições de cuidá-los. Segundo autoridades do país vizinho, assim que a mulher chegou, os cachorros ainda estavam vivos, e foi possível localizar outros dois dentro de uma sacola plástica. Ele será investigado pelo Ministério Público.

No Paraguai, a Lei 4.840 de “Proteção e Bem-Estar Animal”, prevê penalidades para o abuso de animais. O artigo 30, estabelece que é proibido “maltratar os animais ou submetê-los a qualquer prática que possa lhes causar danos ou sofrimentos desnecessários ou injustificados”.

Por Marcos Morandi 

Fonte: Midiamax

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.