Paróquia cancela corrida de galgos que gerou indignação nas redes sociais

A Paróquia de Gueifães, em Portugal, planeou, recentemente, a 1.ª Grande Corrida de Galgos da Paróquia de Gueifães. Porém, a iniciativa gerou uma onda de reações negativas e a corrida foi cancelada.

A Corrida de Galgos que a Paróquia idealizou para o dia 21 de julho foi nesta segunda-feira cancelada pelo padre, que recorreu à rede social Facebook para publicar um comunicado. Em causa estão “as reações” ao evento, sendo que grande parte dos utilizadores ficou “chocada” com a estratégia da igreja para, como defendeu, “angariar fundos para as obras, como também promover mais um evento cultural à comunidade”.

De acordo com o pároco, Orlando Santos, a corrida garantiria “o respeito pelos animais” e as reações “levam a concluir que deve haver um desvio do eixo do planeta Terra, que sempre deve ser tida em conta a responsabilidade de afirmações feitas, particularmente, em público”.

⚠ COMUNICADO ⚠Para um momento lúdico, garantindo o respeito pelos animais, a Paróquia de Gueifães estava a promover…

Gepostet von Paróquia de Gueifães am Montag, 1. Juli 2019

Recorde-se que, também no Norte do país, esta segunda-feira, a delegação da Cruz Vermelha de Vila do Conde decidiu retirar o apoio a um evento que envolvia corridas de galgos, depois de perceber algum descontentamento da comunidade local.

“Fomos sensíveis à opinião de algumas pessoas, manifestada, sobretudo, nas redes sociais. Percebendo esse desagrado, nomeadamente de elementos ligados a movimentos de defesa dos animais, decidimos, após reflexão ponderada, não nos associarmos ao evento”, explicou à Lusa Luísa Eça Guimarães, presidente da Cruz Vermelha vila-condense.

À semelhança da paróquia de Gueifães, também a Cruz Vermelha via no evento uma forma de a delegação angariar algumas “verbas importantes” para a missão social desenvolvida pela Cruz Vermelha em Vila do Conde.

Num comunicado partilhado na rede social Facebook, a SOSAnimal – Grupo de Socorro Animal de Portugal veio lamentar que “tal atividade [corrida de galgos] seja legal em Portugal e que tenha sido possível associar o bom nome da Cruz Vermelha a uma atividade cruel”.

𝗖𝗢𝗠𝗨𝗡𝗜𝗖𝗔𝗗𝗢 | 𝗖𝗢𝗥𝗥𝗜𝗗𝗔 𝗗𝗘 𝗚𝗔𝗟𝗚𝗢𝗦 𝗖𝗥𝗨𝗭 𝗩𝗘𝗥𝗠𝗘𝗟𝗛𝗔A Cruz Vermelha Portuguesa já comunicou publicamente a sua não…

Gepostet von SOSAnimal – Grupo de Socorro Animal de Portugal am Montag, 1. Juli 2019

O Grupo de Socorro Animal deixa ainda um apelo aos deputados da Assembleia da República de forma a “tornarem ilegal esta atividade que viola grosseiramente a lei de proteção dos animais vigente em Portugal, uma vez que não estão asseguradas as regras básicas de bem estar animal e a segurança dos mesmos”.

Foi, inclusive, criada uma petição pública online “pela proibição de corridas de galgos em Portugal” que já foi assinada por mais de 7.500 pessoas. Também o Parlamento irá discutir esta terça-feira dois projetos de lei, um do PAN e outro do BE, que visam a proibição das corridas de galgos.

Por Filipa Matias Pereira 

Fonte: Notícias ao Minuto / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.