Partido Animalista espanhol prepara sua entrada no Congresso

Partido Animalista espanhol prepara sua entrada no Congresso

O partido antecipou sua assembleia geral diante da possibilidade de convocação de novas eleições gerais.

Tradução de Adriana Aparecida Shinoda Marques

O Partido Animalista Contra os Maus-Tratos aos Animais (PACMA) se apresentará nas novas eleições gerais, quando ocorrerem. Sua presidente, Silvia Barquero, afirma que a formação “aumentaria seus resultados eleitorais” relativos às eleições de 20 de dezembro de 2015 (20-D), nos quais obtiveram 220 mil votos. O partido antecipou sua assembleia geral para o dia 05 de março em busca de decidir a “estratégia para 2016”.

Espanha partido animalista congresso

De acordo com o que apurou o portal El Confidencial Digital, o PACMA “aguarda o desenrolar dos acontecimentos” em nível político e está “na expectativa se haverá novas eleições”, explica a presidente do grupo animalista.

Quando perguntada se o partido se apresentaria nas possíveis novas eleições, a líder respondeu de modo contundente: “Claro”. Apontando ainda uma notável evolução do PACMA: “aumentaríamos os resultados eleitorais. Muitos nos dizem que estão fartos da política atual e que votariam em nós”.

Barquero considera que “a tendência do partido é duplicar seus resultados toda vez que concorre a novas eleições”. Nas de 20 dezembro obteve cerca 220 mil votos. Segundo ela, este dado os coloca em posição de obter representação na Câmara dos Deputados: “poderíamos ter conseguido três lugares não fosse a lei eleitoral neste país”.

“Adiantamos os prazos”

Internamente, o grupo tem seu foco voltado para a assembleia que acontecerá no dia 5 de março, mesmo dia em que se saberá se o secretário geral do PSOE (Partido Socialista Operário Espanhol) – Pedro Sánchez – será nomeado presidente e se, portanto, está em posição de formar Governo.

A presidente do PACMA afirmou que as circunstâncias políticas atuais obrigam o partido a realizar de forma antecipada sua assembleia: “adiantamos os prazos planejados diante da possibilidade de convocação de novas eleições”.

Nesta conferência o partido decidirá “a estratégia para 2016”.

Um trabalho de meses

Como explicou Barquero ao portal El Confidencial Digital, a convocação de novas eleições afetará tanto o trabalho como os pressupostos de seu partido.

Neste sentido, a líder considera que diferentemente dos demais partidos políticos “estamos permanentemente em campanha”. O PACMA teria que se envolver em um processo “de meses, custaria mais a nós que a eles” a preparação para novas eleições.

Com efeito, e apesar da incerteza da política atual, a presidente do Partido Animalista esclarece que o mesmo não abandonou suas atividades em nenhum momento desde as eleições de dezembro.

Animais, meio ambiente e justiça social

Os direitos dos animais, o meio ambiente e a justiça social são os três pontos principais que definem o PACMA.

De acordo com seu programa eleitoral, estas são as propostas de destaque do Partido Animalista, com as quais concorreu às eleições gerais de 20 de dezembro:

  • Objetivo Sacrifício Zero: incentivo da adoção, esterilização e proibição da venda de animais.

  • Fim da tauromaquia e festas populares que explorem animais.

  • Fim da caça, prática que dá fim a vida de milhares de animais.

  • Garantir um sistema público de emprego, saúde e educação para todos.

  • Frear as alterações climáticas antes que seja tarde demais.

Fonte: El Confidencial Digital

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.