Passageira é retirada de voo ao tentar embarcar com cão em SP

Passageira é retirada de voo ao tentar embarcar com cão em SP

Uma passageira foi retirada do avião da Latam nesta quinta-feira (23) ao tentar seguir viagem com um cachorro de estimação escondido na bagagem de mão. Ela seguiria de São Paulo para Rio de Janeiro, mas foi descoberta pela tripulação da aeronave antes da decolagem.

Ela estava no voo Tam JJ3918, que saiu do Aeroporto de Congonhas com destino ao Aeroporto de Santos Dumont. A mulher estava acomodada na segunda fileira de poltronas.

Segundo relatos de passageiros, a passageira foi descoberta instantes antes da decolagem. O tripulante passou um rádio para os demais colegas do voo e depois a avisou sobre a necessidade de deixar o avião. Ela aceitou a decisão com naturalidade. Como ela tem dificuldade de locomoção, foi necessário uma van adaptada e uma cadeira de rodas para que ela saísse.

Ainda antes da decolagem, o piloto pediu desculpas aos demais passageiros pelo ocorrido. O voo só seguiu viagem após 40 minutos de atraso, assim que a bagagem da passageira foi retirada do avião.

A Latam informou que o avião tinha previsão de decolagem às 10h30 e saiu às 11h08.

A empresa aéreas disse também que os passageiros que quiserem viajar com seus animais de estimação precisão seguir algumas recomendações, entre elas: obter atestado de saúde do animal, carteira de vacinação atualizada, certificado de vacinação antirrábica e passaporte para trânsito de cães e gatos, que é fornecido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Se transportado na cabine, é preciso acomodá-lo em caixa apropriada e o animal não poderá ser retirado do compartimento durante o voo.

Por Waldelúcio Barbosa

Fonte: Meio Norte (com informações do G1)


Nota do Olhar Animal: Devem haver regras e serem respeitadas, mas a burocracia poderia ser menor (especialmente para vôos nacionais) e, para que ao menos parte dela pudesse ser resolvida no próprio aeroporto, deveria haver estrutura de atendimento para este fim ao menos nos principais aeroportos do país.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.