Pássaros curió são soltos na natureza após reabilitação no Ibama, em Macapá, AP

Pássaros curió são soltos na natureza após reabilitação no Ibama, em Macapá, AP

Quatro pássaros da espécie curió foram soltos de volta na natureza na manhã desta quarta-feira (5), Dia Mundial do Meio Ambiente. As aves passaram por tratamento de reabilitação no Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), na Zona Norte de Macapá.

A soltura foi assistida por 35 estudantes da Escola Municipal Professora Lúcia Neves Deniur, que fica próxima ao Cetas. Essa foi uma das atividades da Semana do Meio Ambiente, organizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), que segue até sábado (8) com palestras educativas, exposição sobre o combate e prevenção de incêndios florestais, além de soltura de mais animais.

Os alunos, com idades entre 10 e 12 anos, aprenderam sobre a realidade dos animais silvestres apreendidos por terem sido recolhidos irregularmente do habitat natural.

Crianças participam de visita guiada durante atividades da Semana do Meio Ambiente. — Foto: Ugor Feio/G1

Segundo a superintendente substituta do Ibama, Emanuelle Guedes, parte das ações são focadas nas crianças por causa do potencial delas se tornarem multiplicadoras de boas práticas e proteção ao meio ambiente.

“Hoje elas [as crianças] conheceram o peixe boi Vítor, a onça Fera e diversos outros animais, para trabalhar a conscientização ambiental e para que conheçam a realidade dessas espécies que foram tiradas da natureza irregularmente e vieram parar aqui. Acreditamos que os alunos são os principais multiplicadores de informações na comunidade”, explicou.

Cerca de 50 animais passam por reabilitação no Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) — Foto: Ugor Feio/G1

O Cetas trata, atualmente, cerca de 50 animais, entre aves, cutias, macacos-prego, macacos-aranha e ainda uma onça pintada e um peixe-boi com mais de 300 quilos. As espécies chegaram ao centro após serem resgatados em apreensões da fiscalização ambiental e pela captura.

“Além das apreensões, às vezes os fiscais encontram um animal ferido, ou doente e precisando de tratamento. Eles também são trazidos para cá, passam pela triagem, tratamento e reabilitação para que sejam destinados de volta à natureza”, detalhou.

Marcelo Carvalho, do Núcleo de Prevenção e Combate ao Fogo (PREVFOGO) — Foto: Ugor Feio/G1

Outra atividade destacada no evento foi a exposição sobre incêndios florestais do Núcleo de Prevenção e Combate ao Fogo (PREVFOGO), com equipamentos usados na prevenção e combate às queimadas, voltados para a conscientização da comunidade.

“A maioria dos incêndios florestais são causados pelas pessoas mesmo e não acidentes ambientais. Normalmente ao tentar expandir suas lavouras, acabam queimando o mato de forma desordenada, atingindo as regiões de fauna”, descreveu Marcelo Carvalho, do apoio técnico operacional da Prevfogo.

Bióloga acompanha e ensina crianças sobre a conscientização ambiental. — Foto: Ugor Feio/G1

O evento faz parte de uma programação que percorre ainda os municípios de Tartarugalzinho, Oiapoque e Pracuúba. Este último contará com a soltura de 10 mil filhotes de tartarugas do tipo tracajá, na região conhecida como Ilha da Família do Vaz, a partir das 13h, no sábado.

Em Oiapoque e Tartarugalzinho, haverá também uma seleção de 84 novos brigadistas que passarão por um processo seletivo em duas etapas com Testes de Aptidão Física (TAF) e Curso de formação, em alusão à data comemorativa.

Mirella Cavalcante, responsável pelo Cetas no AP — Foto: Ugor Feio/G1

A bióloga Mirella Cavalcante, responsável pelo Cetas, afirma que as ações são importantes para as crianças. Os estudantes auxiliaram os agentes do Ibama na soltura das quatro aves curió.

“As ações consistem em ressaltar a importância da luta pelo meio ambiente, sobre a conscientização das crianças quanto a conservação dos animais silvestres para todo o contexto do meio ambiente no qual nós também estamos inseridos. É importante que eles entendem que nós podemos agir em prol da natureza, um depende do outro”, discorreu.

Alunos lancham e ouvem palestra sobre conscientização do meio ambiente no Cetas. — Foto: Ugor Feio/G1

Onça ‘Fera’ passa por reabilitação no Cetas de Macapá. — Foto: Ugor Feio/G1

Coruja é um dos cerca de 50 animais que passam por reabilitação no Cetas. — Foto: Ugor Feio/G1

Peixe-boi Vítor recebe tratamento para ser solto na natureza. — Foto: Ugor Feio/G1

Araras estão entre os animais em extinção que passam por reabilitação no Cetas. — Foto: Ugor Feio/G1

Por Ugor Feio

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.