ARGENTINA arturo i11620 oso arturo mdz

Pedem novamente a retirada do urso polar Arturo de seu cativeiro em zoo Argentino

Gabriel Flores, integrante da organização Ecológicos Unidos, apresentou uma petição com mais de 420 mil assinaturas ao secretário do Meio Ambiente da província de Mendoza, Humberto Mingorance para que levem Arturo para o Canadá. Apesar disso, é pouco provável que se consiga seu traslado. Também foi pedido que o zoológico se converta em um parque ecológico de animais nativos. Você pode ajudar a somar na campanha para que Arturo possa voltar a ver neve!span>

Tradução de Nelson Paim

O urso polar Arturo vive a milhares de quilômetros de seu habitat, em um país longínquo, em um mundo com temperaturas altas e encarcerado em uma jaula que simula seu ambiente natural, com gente que paga para vê-lo morrer. Há alguns dias atrás seu estado de saúde se deteriorou e agora, novamente, pedem seu traslado, para que ele possa ver a neve pela última vez em sua vida.

A equipe de veterinários que cuidam de Arturo no questionável zoológico de Mendoza, onde morreram mais de dez animais no verão por consumir fardos contaminados por agrotóxicos, sedou o urso para poder examiná-lo melhor.

Em 2014 o Greenpeace lançou uma campanha para transferir Arturo e juntou milhares de assinaturas para entregá-las ao governador Francisco Pérez, mas o funcionário da província avaliou que era mais importante ocupar seu tempo com outras coisas.

Esta semana Gabriel Flores, membro da ONG Ecológicos Unidos, voltou a impulsionar sua petição, que tem 420 mil assinaturas, para que seja trasladado o urso para o Canadá. “Hoje nos reunimos com o secretário do meio ambiente da província, Humberto Mingorance, e lhe levamos 420 mil assinaturas, ele nos adiantou que devido ao estado de saúde e idade do urso é pouco provável que possa ser trasladado, mas também nos disse que há grandes possibilidades de que o zoológico de Mendoza se converta em um parque ecológico”.

A petição de Flores também inclui o pedido de revisar o zoológico de Mendoza para torná-lo um parque ecológico, sem jaulas nem animais exóticos. Somente animais nativos em reabilitação ou resgatados do uso como animais de estimação.

“Aceitaram as assinaturas e nos disseram que existem boas possibilidades de que o projeto de lei [de transformar o zoológico em parque ecológico], que foi elaborado por sete organizações ambientalistas e que está sendo avaliado pelas comissões de meio ambiente dos deputados da província, seja aprovado”, disse o integrante do Ecológicos Unidos.

A reivindicação pelo urso Arturo foi a que mais assinaturas reuniu na Argentina. A segunda campanha com mais engajados é a que promove a Organización Proyecto Galgo Argentina, que luta pela proibição das corridas de cães, cujo projeto de lei foi aprovado, preliminarmente, pelo Senado.

“Em 2012 fui ao zoológico e encontrei o urso polar em péssimas condições, durante horas caminhava dois passos para trás e dois passos para frente, o que se chama zoocosis por prisão. Toda a jaula tem piso de cimento e no entorno há apenas pinhais. Não podemos possuir um urso polar no deserto de Mendoza com quarenta graus no verão”, detalhou o ativista.

A luta de Flores pela melhora da qualidade de vida dos animais em geral, e de Arturo em especial, alcançou grandes vitórias que parecem ridículas se pensamos na enorme violência que tem sofrido o urso polar em sua vida no zoológico. No momento aumentaram sua piscina e colocaram ar-condicionado na jaula. “Os zoológicos não deveriam existir nem se deveria tirar os animais de seu habitat, com fins educativos ou para explorá-los”.

Para ajudar na campanha pela liberdade do urso Arturo, você pode assinar a seguinte petição: https://www.change.org/p/ecoparque-en-mendoza-y-evaluaci%C3%B3n-del-oso-polar-arturo-difusioncornejo

Fonte: El Federal Periodista

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.