Pedida a prisão de homem que amarrou seu cão para que se afogasse quando a maré subisse

Pedida a prisão de homem que amarrou seu cão para que se afogasse quando a maré subisse

A acusação pública solicita também que ele seja proibido de trabalhar com animais durante três anos.

Tradução de Josy Apda

ESPANHA perro ahogado 490x578

Dia 26 de Março, o Tribunal Penal número 3 de Huelva sediou o julgamento do homem acusado de amarrar seu cachorro a uma grande pedra para que ele se afogasse quando a maré subisse. Aparentemente, os fatos aconteceram na “Paraje Natural de las Marismas” da Ilha Cristina, em Ayamonte, na Espanha, onde o acusado realizou esta ação macabra na companhia da própria mãe.

Agora, a acusação de Huelva pede 11 meses de prisão para o indivíduo por violência contra o animal, e o Ministério Público solicita que ele seja proibido de manter qualquer ofício ou comércio que tenha relação com animais durante os próximos três anos.

De acordo com a acusação, o réu deixou o animal sem qualquer chance de fuga, “causando desta maneira não só sua morte, mas também um sofrimento desnecessário e injustificado”.

De acordo com a informação oficial, a detenção do acusado ocorreu antes do verão de 2013, em consequência de uma investigação que começou pouco depois que um cidadão avisou a Guarda Civil, online, que tinha visto um cachorro morto nas margens do mar da província de Huelva.

Junto a esta denúncia, o cidadão anexou uma foto, tirada depois que a maré baixou, e a informação que tinha visto no Facebook, na qual o tutor explicava que tinha sacrificado o animal desta forma pois não tinha dinheiro para fazê-lo por meios legais.

Fonte: Ideal

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.