Pedida prisão preventiva de militar que matou cachorro em Belém, PA

Pedida prisão preventiva de militar que matou cachorro em Belém, PA
Na imagem, Lobo, morto com tiros de pistola disparados pelo PM. Reprodução

A delegada Rosamalena de Oliveira Abreu, lotada na Delegacia de Meio Ambiente e Proteção Animal (Demapa) pediu a prisão preventiva do policial militar Luiz Augusto de Almeida da Silva por matar a tiros um cachorro no dia 25 de dezembro, em Belém. O homem foi indiciado por crimes de maus-tratos a animais com resultado morte.  

Na Corregedoria da Polícia Militar foi aberto contra Luiz Augusto um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) ainda em conclusão.

O soldado que atirou e matou o cachorro, de nome Lobo, no bairro da Pedreira, em Belém, foi afastado de suas atividades assim que se entregou, ele pode ser expulso da corporação.

Na ocasião, o acusado alegou que o cachorro teria atacado o pai dele e por isso teve de sacar do revólver.

Lei aumenta punição 

Sancionada ainda no ano passado, a Lei 1.095/2019, que aumenta a punição para quem praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais. A legislação abrange animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, incluindo, aí, cães e gatos, que acabam sendo os animais domésticos mais comuns e as principais vítimas desse tipo de crime. A nova lei cria um item específico para esses animais.

A prática de abuso e maus-tratos a animais será punida com pena de reclusão de dois a cinco anos, além de multa e a proibição de guarda

Fonte: Diário Online

Crueldade em plena luz do dia: homem saca arma e mata cachorro em Belém, PA

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.