Pedro Francisco, o cão que perdeu uma perna, mas ganhou um lar em Jaraguá do Sul, SC

Pedro Francisco, o cão que perdeu uma perna, mas ganhou um lar em Jaraguá do Sul, SC

Adotar um animal é um ato de amor e responsabilidade. Ao acolher o bichinho, deve-se ter em mente que há necessidade de protegê-lo e zelar pelo seu bem-estar.

Assim como os humanos, eles precisam de cuidados, mas costumam compensar seus tutores com muito carinho e alegrias.

Mas, e quando o animal possui alguma deficiência, o que muda? Para Sandra Bononi Marques, tutora do Pedro Francisco, nada.

Com nome composto e até sobrenome, o cão sem raça definida perdeu a perna dianteira direta num acidente.

No entanto, isso não o impede de fazer tudo o que os outros cachorros fazem e nem de ser muito amado pela família que o adotou.

Comprar x adotar

Sandra com Pingo e Mia no colo (E), Érica Marques com Pedro Francisco e a voluntária Marilene, no dia em que o novo membro da família chegou. – Foto Divulgação/Arquivo Pessoal

Sandra conta que já tinha outros dois cães, o Pingo, um yorkshire hoje com 13 anos, e o Kid, filho do Pingo. Também havia a Mia, da mesma raça, e um gatinho, Quéops, ambos já falecidos.

Ela conta que não pensava em adotar e que, assim como outras pessoas, não tinha consciência da situação de abandono e de crueldade a que muitos são submetidos.

“Um dia, uma reportagem me chamou muito a atenção, falava justamente sobre isso, abandono e crueldade e como as pessoas preferiam comprar animais de raça em vez de adotar. Nossa, foi como se tivessem tirado um véu da frente dos meus olhos e eu enxerguei a verdade”, ressalta. 

Naquele momento, Sandra decidiu que adotaria, que faria a diferença para pelo menos um bichinho.

A ideia era acolher aquele que teria mais dificuldade para ser adotado – cães e gatos mais velhos, doentes, deficientes ou considerados “feios”.

Passou a buscar nas redes sociais pelos grupos de proteção de Jaraguá do Sul e, ao ver Pedro Francisco, revela que se apaixonou.

Um cão chamado Pedro Francisco?

Dupla inseparável: Pedro Francisco e Kid tomando sol na varanda. – Foto Divulgação/Arquivo Pessoal

Atropelado e abandonado na rua Pedro Francisco Freiberger, de onde foi recolhido, o cachorro acabou perdendo a pata.

Mas, foi a partir dali que ele ganhou proteção, cuidados e uma nova vida. Primeiro, esteve sob a tutela da Ajapra. Depois, ganhou nome, sobrenome e uma família.

Hoje, Pedro Francisco B. Marques, de três anos, se dá muito bem com os irmãos. “Como o Pingo é mais velho, ele fica mais na dele. Mas o Pedro e o Kid são inseparáveis, brincam, dormem, tomam solzinho, e fazem tudo sempre juntinhos, os meus anjinhos”, derrete-se a tutora.

Ensinar com amor

Apesar de não ter uma perna, o cachorro, ela garante, leva uma vida normal, é inteligente e aprende tudo muito rápido.

Para ensinar os animais, Sandra usa o reforço positivo (recompensar quando fazem o certo), nunca a punição.

“O Pedro Francisco, assim como os outros dois, faz parte da nossa família e tem até nosso sobrenome na carteirinha de vacinação. Eles são o nosso dengo, são amorosos, carinhosos e inteligentes. Nós os amamos demais e temos certeza que nós é que recebemos muito mais deles”, declara.

E completa: “hoje o Pedro Francisco é feliz. Ele tem e sempre terá um lar onde será muito cuidado e querido”.

Engajada na causa animal

Além de ter adotado Pedro, Sandra revela que contribui mensalmente com uma protetora de animais local e a ajuda sempre que possível. Também realiza doações ao Greenpeace.

Ficou interessado em adotar?

Entre em contato com grupos de proteção animal por meio do Facebook:

Ajude você também

Jaraguá do Sul e região possuem diversos grupos de proteção animal que promovem campanhas e precisam de ajuda para manter os bichos resgatados em lares temporários ou clínicas. Essas ONGs também realizam diversos eventos para arrecadar fundos e continuar prestando esses serviços.

Pastelada Animal

Uma delas, a Gang dos Patinhas, promoverá, neste sábado (19), a Pastelada Animal. Os cartões estão sendo vendidos a R$ 25, com direito a 5 pastéis e 2 fatias de bolo.

O evento será na Estação na Barra do Rio Cerro, das 11h às 17h. Também será vendido o pastel individual, frito ou congelado.

Os cartões podem ser adquiridos na secretaria do Caeb, Pet da Ponte, Hospital Veterinário Duhan Tamys, Farmácia Paraná e Farmácia Biodora.

A renda da Pastelada será utilizada para quitar a dívida do Projeto Social Charruas, com o tratamento dos animais da Aldeia Piraí.

Serviço:

  • O quê: Pastelada Animal da Gang dos Patinhas
  • Quando: sábado (19)
  • Onde: Estação na Barra do Rio Cerro, Jaraguá do Sul
  • Horário: das 11h às 17h
  • Valor: R$ 25 (direito a 5 pastéis e 2 fatias de bolo)
  • Onde comprar: Secretaria do Caeb, Pet da Ponte, Hospital Veterinário Duhan Tamys, Farmácia Paraná e Farmácia Biodora

Por Ana Paula Gonçalves

Fonte: OCP News

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.