No vídeo, cauda de baleia-jubarte é decepada – Foto: Reprodução/ND

Perícia em barco que decepou cauda de baleia em Itajaí (SC) é concluída

Foi concluída a perícia na embarcação de pesca que aparece em um vídeo onde a cauda de uma baleia jubarte é decepada. O barco foi apreendido em Itajaí na última quarta-feira (27).

A embarcação foi liberada da marina de Itajaí nesta terça-feira (2) e está sob os cuidados do proprietário. Ele e três tripulantes são investigados por crime ambiental, já que as jubartes são protegidas pela legislação brasileira desde 1980. As penas variam de 1 a 3 anos de detenção e de 2 a 5 anos de reclusão.

A PF aguarda agora o laudo pericial, que ainda não foi entregue. É apurado pela investigação se a cauda da baleia foi amputada por acidente, ou se foi cortada propositalmente pelos pescadores. A polícia também investiga se o local onde o barco de pesca estava era apropriado.

As baleias jubarte costumam passar pelo litoral de Santa Catarina durante o percurso migratório para o Nordeste, onde os animais se reproduzem. As cenas, que repercutiram nacionalmente, mostram o grupo comemorando enquanto a baleia se afasta deixando um rastro de sangue no mar.

O ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) e o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) farão uma avaliação técnica a partir das imagens e do depoimento dos tripulantes, também para verificar se eles estavam pescando em local permitido.

Em entrevista ao Balanço Geral Itajaí no dia 29 de maio, o dono da embarcação disse que tudo não passou de um acidente. Segundo Saimon Reis Bento, o grupo estava a 14 quilômetros da costa de Itajaí, testando o novo motor do barco, quando foram surpreendidos pelo animal.

“Tivemos a infelicidade da baleia prender no cabo de aço. Ela já foi estourando tudo, estourando os varões do barco, arrebentando tudo. Ficamos apavorados, não cortamos o rabo como falaram. Crucificaram a gente, não deram nem chance de nós explicarmos”, disse Saimon em entrevista.

Segundo a Polícia Federal, uma inspeção técnica de órgãos ambientais não encontrou pescados ou vestígios da baleia no interior do barco.O caso segue sendo investigado.

Fonte: ND Mais

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.