Perito Criminal Veterinário passa a integrar Forças de Segurança do Amazonas no combate aos crimes contra animais

Perito Criminal Veterinário passa a integrar Forças de Segurança do Amazonas no combate aos crimes contra animais
O trabalho do perito permitirá que as equipes atuem com provas técnicas e irrefutáveis. Foto: Carlos Soares SSP-AM

As Forças de Segurança do Amazonas, empenhadas no combate aos crimes contra animais, agora passam a contar com o apoio de um perito criminal veterinário. O Estado é o segundo da região Norte a contar com o trabalho desse profissional. Para a diretora do Instituto de Criminalística Lorena dos Santos Baptista (IC-LSB), Najara Marinho, o trabalho do perito permitirá que as equipes atuem com provas técnicas e irrefutáveis.

“Nós ficamos felizes com a chegada do primeiro perito veterinário do Estado do Amazonas. Aqui ele tem a função de garantir a prova técnica, ou seja, aquela prova irrefutável de que os maus-tratos de fato aconteceram, por isso é muito importante a presença do perito no processo para que o criminoso, possa vir a ser de fato condenado”, disse a diretora.

A perita explicou que o profissional irá trabalhar executando o que preconiza o Protocolo de Perícia em Bem-Estar Animal (PPBEA), a partir do qual poderá identificar o tratamento que o animal recebe. “A partir disso vai ser feita uma investigação para saber se esses maus-tratos estão sendo feitos de forma intencional”, ressaltou a perita.

O perito veterinário passou a integrar o Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) em janeiro deste ano, a partir do chamamento dos novos concursados para as Forças de Segurança, realizado pelo Governo do Amazonas. O profissional foi um dos 1.704 convocados para assumir as funções, ainda em dezembro do ano passado.

Foto: Carlos Soares SSP-AM
Foto: Carlos Soares SSP-AM

Elucidação de crimes

Conforme a diretora, o perito criminal veterinário irá tratar na confecção de provas técnicas, que irão subsidiar a elucidação de crimes contra animais, incluindo, também, casos específicos de abuso e envenenamento.

“Além dos casos de maus-tratos, hoje, com a vinda desse perito criminal veterinário, nós podemos inclusive trabalhar em casos de envenenamento, e tantas outras causas de morte. Todas essas mudanças corroboram para comprovar nosso comprometimento e o do Governo do Estado e fornecer à sociedade um trabalho cada vez melhor”, explicou.

Denúncias

A diretora Najara destacou que a população pode ajudar o trabalho da perícia, para isso, é necessário ter em mãos algum indício contra maus-tratos aos animais. Conforme explicou, o auxílio pode subsidiar a identificação do agressor e a investigação do caso.

“Nós temos a Delegacia Especializada em Crimes Contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema), da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), então o cidadão pode ir até esses locais para fazer a denúncia, o ideal é que ele tenha provas, como filmagens, fotos da situação que está ocorrendo para que possa fundamentar a investigação e para que a equipe pericial seja demandada”, disse Najara.

Integração

A delegada titular da Delegacia Especializada em Crimes Contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema), Juliana Viga, ressaltou a importância do profissional para concluir inquéritos em crimes contra animais.

“O perito veterinário é muito importante para os nossos procedimentos investigatórios, porque ele consegue produzir uma prova técnica com mais segurança, e por ser da área de veterinária. Então nos casos de maus tratos aos animais, a gente consegue ter um laudo técnico bem específico e, com isso, instruir melhor os nossos procedimentos investigatórios”, disse a delegada.

Fonte: Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas