Perseguição da GCM acaba com pitbull morto a tiros em Santa Bárbara d’Oeste, SP

Perseguição da GCM acaba com pitbull morto a tiros em Santa Bárbara d’Oeste, SP
O caso foi registrado no Plantão Policial de Santa Bárbara, mas ninguém foi preso. (Foto: Arquivo / O Liberal)

Um pitbull foi morto com três tiros por um guarda civil municipal na tarde deste domingo (25), durante uma perseguição que terminou em confronto com moradores do Conjunto Habitacional Roberto Romano, em Santa Bárbara d’Oeste. Guardas relataram terem sido apedrejados e um deles quebrou o braço durante a ação, enquanto um morador envolvido no caso relatou violência desnecessária dos patrulheiros.

Os guardas afirmaram à Polícia Civil que o cão foi ‘lançado em cima’ deles quando entraram no apartamento de um suspeito – o advogado dos donos do animal nega. O cachorro foi levado ao aterro sanitário da cidade. Quatro homens foram levados à delegacia, mas ninguém ficou preso. O caso será enviado ao Juizado Especial Criminal local.

Tudo começou por volta de 14h30. Os guardas disseram à polícia que faziam ronda pelo conjunto habitacional quando viram um homem empurrando uma motocicleta perto do bloco 80. Ao ver a viatura, o sujeito fugiu a pé e jogou oito pinos de cocaína e uma porção de maconha no chão, segundo a versão dos patrulheiros.

Quando o suspeito foi alcançado, começou a brigar com os guardas e, neste momento, os patrulheiros passaram a ser apedrejados por outras pessoas, sempre de acordo com a versão oficial. Uma pedra atingiu um guarda no rosto e um carro da corporação.

Os guardas então identificaram três das pessoas que os apedrejaram e os seguiram. Neste momento, a corporação já contava com reforço de outros agentes. Os suspeitos se esconderam dentro de seus apartamentos, diz a Guarda, e se negaram a abrir as portas. Os patrulheiros então forçaram a entrada em uma das moradias, onde um dos homens resistiu à prisão, de acordo com os agentes, e foi contido com “força moderada”.

Caso aconteceu no Conjunto Habitacional Roberto Romano, em Santa Bárbara d’Oeste.(Foto: Prefeitura de S.Bárbara / Divulgação)

No outro apartamento em que entraram à força, os guardas disseram que os moradores “lançaram” um pitbull contra a equipe. O cão foi morto por um dos patrulheiros com três tiros. Os moradores também resistiram à prisão, na versão dos agentes da GCM (Guarda Civil Municipal), e foram detidos.

O advogado dos quatro homens, Guilherme Vidotto, diz que o cão estava solto dentro da casa, e que não foi lançado em cima dos guardas. Segundo ele, também não se sabe se o cão atacou. “Não dá para afirmar que ele avançou em cima deles”. De acordo com o representante dos moradores em questão, os donos do animal avaliam se vão tomar alguma medida por causa da morte do pitbull.

Quando estavam deixando o conjunto habitacional, os patrulheiros foram novamente alvos de pedradas, de acordo com sua versão.

Ouvido pela polícia, o suspeito de carregar as drogas negou ser dono dos entorpecentes. Ele também negou ter apedrejado os guardas, ter resistido à prisão e afirmou que os patrulheiros agiram com violência desnecessária. Na delegacia, os donos do cão e um quarto homem conduzido ficaram calados e disseram que vão se manifestar somente em juízo.

Por George Aravanis 

Fonte: O Liberal 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.