Pescadores relatam morte de animais em área atingida por vazamento de óleo na Zona Oeste do Rio

Pescadores da Baía de Sepetiba relatam mortandade de peixes na área atingida por vazamento de óleo em Pedra de Guaratiba, na Zona Oeste do Rio. O incidente foi na sexta-feira, e as chuvas espalharam a mancha no mar, podendo chegar a Grumari e até o Recreio.

Quem vive da pesca diz que até peixes resistentes, como bagres, estão morrendo. Uma tartaruga apareceu morta na Restinga da Marambaia. Caranguejos também não estão resistindo.

O vazamento foi no Rio Piraquê, um afluente da Baía de Sepetiba. Ainda não se sabe o volume de óleo derramado nem quem é o responsável.

Segundo os pescadores, a chuva forte que caiu no fim de semana aumentou a pressão do rio, e as barreiras não seguram a poluição.

Sufoco

Vídeo: Vazamento de óleo contamina Rio em Pedra de Guaratiba e ameaça baía de Sepetiba.

O presidente da Associação de Pescadores de Pedra de Guaratiba, Fábio Pedroso, conta que perceberam a mancha de óleo no dia 10.

“Todos os animais estão passando por sufoco. A garça e outras aves estão amareladas, os peixes estão morrendo, principalmente os peixes de fundo. Os caranguejos estão sofrendo, ainda mais que está na época de eles andarem para desovar. Justamente na época da desova do camarão teve esse derramamento de óleo. A situação está difícil aqui”, disse o pescador.

O comprometimento da fauna e da flora locais causa impactos econômicos diretos na vida de cerca de mil pescadores. Peixes, mexilhões, camarões, caranguejos e aves foram afetados. Com a chegada da semana santa, quando a demanda aumenta, o prejuízo será ainda maior.

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) afirmou em nota que continua monitorando o vazamento.

Por Lívia Torres

Fonte: G1

Os peixes: uma sensibilidade fora do alcance do pescador

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.