Pet shop deixa dois cachorros fugirem em menos de um mês, em Campo Grande, MS

Pet shop deixa dois cachorros fugirem em menos de um mês, em Campo Grande, MS
Luxinho no colo de dona Nair, que o trata como um príncipe segundo a família Foto: Arquivo Pessoal

Em menos de um mês dois cachorros fugiram da pet shop, loja de artigos para animais localizado na rua Manoel Joaquim de Moraes, no Jardim Leblon, sem nenhuma explicação.

Desde sábado o Campo Grande News vem noticiando o sumiço do Luxinho, vira-lata de 6 anos, companhia da dona Nair, de 90 anos. Segundo a família da idosa, o cãozinho desapareceu depois que os netos deixaram o cachorro no estabelecimento para um banho na sexta-feira (23). Há duas semanas, também noticiamos a fuga de Nina, uma pinscher de 3 anos, que escapou logo após o motoentregador abrir compartimento que transporta de animais em frente ao mesmo pet shop.

Daniara Ribeiro, de 34 anos, dona da pinscher, contou que após cobrar o dono do pet shop, 30 cartazes foram impressos pelo estabelecimento e distribuídos pela dona do cão. “A minha revolta e indignação é porque não me avisaram que a cachorrinha tinha fugido, não me deram suporte e ficam oferecendo cachorros, como se fosse qualquer coisa”, finalizou.

Já no caso de Luxinho, o pet shop também demorou avisar os donos sobre o sumiço, mas dois dias após o desaparecimento do cão, um carro de som foi contratado para passar pelas ruas do bairro e região avisando das buscas pelo vira-lata.

A reportagem procurou por ligação e mensagem o pet shop para que pudesse explicar o que aconteceu no caso desses dois cachorrinhos que desapareceram enquanto estavam sob a responsabilidade do estabelecimento, mas até o momento não tivemos retorno.

Nina teve um final feliz. Após 18 dias desaparecida, a pinscher foi encontrada pela dona e voltou para casa sã e salva. Luxinho, que recebeu esse nome por ser criado com toda regalias de um “príncipe” pela dona Nair, ainda não foi encontrado, mas a família segue na procura.

Por Ana Beatriz Rodrigues

Fonte: Campo Grande News

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.