Serviço das vitórias está proibido a partir deste sábado (20), de acordo com a Prefeitura de Petrópolis, no RJ — Foto: Aline Rickly / G1

Petrópolis, RJ, decreta fim das atividades com tração animal em charretes

A Prefeitura de Petrópolis, na Região Serrana do Rio, decretou o fim das atividades das charretes, com tração animal, em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, na tarde desta sexta-feira (29).

O município informou que a determinação ainda será publicada no Diário Oficial e que o serviço das vitórias não poderá mais ser oferecido na cidade a partir deste sábado (20).

A decisão ocorre cinco meses depois da realização de um plebiscito durante as eleições onde a maior parte da população votou pelo fim da atividade.

Ao G1, os charreteiros informaram que ainda não foram notificados.

“Como que para assim? Como vão ficar nossos animais? Cadê as charretes elétricas que iam substituir?”, questiona a charreteira, Cibele Raposo.

O município disse que montou um grupo de trabalho que estuda alternativas para eles, como a realização do serviço de outra forma, sem a utilização dos cavalos, e discute também as questões de bem-estar animal e de turismo.

“Todos os segmentos serão contemplados”, disse o prefeito Bernardo Rossi, mencionando que houve um espaço grande de tempo entre a realização do plebiscito, a comunicação da Câmara de Vereadores e notificação do Executivo sobre a decisão.

Fim das charretes foi votado durante um plebiscito em Petrópolis — Foto: Reprodução/Inter TV
Fim das charretes foi votado durante um plebiscito em Petrópolis — Foto: Reprodução/Inter TV

Alternativas

A Secretaria de Assistência Social cadastrou todas as 15 famílias – 48 pessoas – que fazem parte do grupo de charreteiros. Segundo a Prefeitura, cada caso está sendo estudado individualmente para que sejam apresentadas soluções de empregabilidade de acordo com cada cenário.

“Estamos estudando opções de treinamento e outros tipos de assistência possível para as famílias. Não vamos deixar os charreteiros desamparados”, garantiu Renato Couto, secretário de Meio Ambiente e relator do segmento Substituição das Charretes.

Segundo a Prefeitura, o termo de referência obrigatório para o edital de licitação para charretes elétricas está sendo elaborado.

“Estamos trabalhando para criar um projeto que permita a continuidade da atividade, atendendo ao turismo, mas sem a tração animal. Precisamos explorar o potencial da nossa cidade da melhor maneira possível, respeitando o resultado e o desejo da população”, secretário da Turispetro, Marcelo Valente.

Para a protetora de animais, Ana Cristina, da Ong Anima Vida, todas as alternativas apresentadas ainda estão em fase de especulação.

“Só tem promessa! Tudo está em fase de estudo e quem é que vai manter os cavalos nesse período? E as famílias, como ficam?”, questiona.

Para a protetora, o decreto da Prefeitura é “imoral”. “Considero uma falta de respeito porque essas pessoas [os charreteiros] exerciam uma atividade legalizada, cumprindo com suas obrigações”, argumenta.

Incidente

Cavalo escorregou e caiu no bairro Retiro, em Petrópolis, RJ, na tarde desta terça-feira (26). — Foto: Carolina Schmitt/ Arquivo Pessoal
Cavalo escorregou e caiu no bairro Retiro, em Petrópolis, RJ, na tarde desta terça-feira (26). — Foto: Carolina Schmitt/ Arquivo Pessoal

Nesta semana, uma mulher flagrou um cavalo de charrete turística caído em uma rua de Petrópolis. Carolina Schmidt disse que estava passando de carro, quando viu o animal escorregando e caindo.

Um grupo de motoristas que estava passando pelo local ajudou a levantar o cavalo, que seguiu viagem. Segundo a Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (CPTrans), que fiscaliza o serviço na cidade, o animal não sofreu danos.

Por Aline Rickly, G1 — Petrópolis

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.