Petrópolis, RJ, ganha coordenadoria do bem-estar animal

Projeto de lei só falta ser sancionado pelo prefeito. Coordenadoria ficará responsável pelo curral de apreensão de cavalos. 

A Câmara de Vereadores de Petrópolis, Região Serrana do Rio, aprovou, em sessão plenária na última quinta-feira (10), um projeto de lei do Poder Executivo que transforma o Núcleo de Bem Estar Animal em coordenadoria. A mudança permitirá uma reorganização e ampliação do setor, com aumento no número de técnicos para atendimento à demanda do município. Entre os profissionais que serão contratados estão um veterinário de equinos, um veterinário de animais silvestres e um especialista em comportamento animal. Eles reforçarão a equipe da Secretaria de Meio Ambiente, que conta hoje com apenas uma veterinária. O projeto segue, agora, para sanção do prefeito Rubens Bomtempo. 

A nova estrutura foi definida com a contribuição de organizações não governamentais, que participaram de reunião realizada pela chefe do Núcleo de Bem Estar Animal, Rosana Portugal. No encontro surgiram propostas incluídas em seis emendas ao projeto original. “É uma grande conquista para quem, como eu, trabalha em prol dos animais. O prefeito conhece nossas limitações e, por isso, propôs a criação da coordenadoria. Com a nova estrutura teremos como nos organizamos melhor para atendimento à demanda existente no município”, explicou Rosana.

Entre os trabalhos sob responsabilidades da equipe do setor estão a reestruturação do curral de apreensão (já em andamento), o estabelecimento de parcerias com o terceiro setor e o planejamento de ações emergenciais voltadas para o bem estar animal. Com o projeto, a

Coordenadoria de Bem Estar Animal passará a ser a responsável pelo curral de apreensão de cavalos, que está sendo reformado e reestruturado pela prefeitura. Além disso, com mais técnicos, a coordenadoria poderá organizar melhor o calendário das feiras de adoção de animais e intensificar as ações de fiscalização relativas a maus tratos.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.