Pintinho nascido com dedos curvados recebe “sapatos” especiais para que possa caminhar

Pintinho nascido com dedos curvados recebe “sapatos” especiais para que possa caminhar

“O pequeno correu a toda velocidade, quase caiu do balcão!”

De certa forma, um ovo de galinha recém-chocado representa o potencial da vida em sua forma mais pura: a criatura em desenvolvimento que ele contém é totalmente inconsciente do que o espera no mundo lá fora.

Muitas vezes é uma existência triste. Mas neste caso, foi bondade.

Adam Tiernan e sua família vivem em Iowa, onde eles criam galinhas como hobby. Recentemente, eles decidiram aumentar o grupo ao incubar alguns ovos fertilizados, mas logo precisaram agir como “mãe” de uma maneira que nunca esperavam.

Apesar de seus melhores esforços, apenas um ovo revelou-se viável, mas mesmo assim não foi um nascimento fácil: o pintinho no interior do ovo estava tendo problemas para quebrar a casca completamente e precisou da ajuda da família para escapar do ovo.

Depois, eles descobriram que o pequeno pintinho precisava de mais ajuda ainda. Ele nascera com os dedos curvados, o que significava que não podia andar ou ficar de pé.

Em vez de descartar o pintinho recém-nascido por causa desse defeito, os Tiernans se dedicaram ainda mais.

Depois de algumas pesquisas na Internet, eles encontraram uma solução para consertar os dedos deformados do pintinho. Ao aplicar fita adesiva aos pés do pássaro, os dedos dos pés se estenderiam e, com o tempo, a posição correta provavelmente seria alcançada. Então foi exatamente isso que eles fizeram.

E graças a esses “sapatos” personalizados, o pintinho finalmente estava de pé e caminhando, embora um pouco inseguro.

Cerca de uma semana depois, era hora de remover a fita.

“Nós colocamos o pintinho no balcão para ver se ele poderia manter os dedos dos pés retos, e o pequeno correu a toda velocidade, quase correu para fora do balcão!” disse Adam Tiernan ao The Dodo, acrescentando que o pintinho “já foi apelidado de Nitro”.

Um nome improvável para uma criatura que não conseguia ficar em pé.

Agora, a pequena Nitro tem um novo começo na vida, capaz de explorar o exterior, onde logo se juntará ao resto das galinhas e galos da família.

Aqui está ela movendo-se com facilidade.

Para Adam, a decisão de ajudar a fofa recém-chegada, que outras pessoas poderiam ter eliminado logo no início, foi muito fácil: “Nós certamente não queríamos que ela morresse”, disse ele. “Se tudo o que tivemos que fazer foi dedicar algum tempo, fazer algumas pesquisas e usar um pouco de fita adesiva para ajudá-la a seguir o caminho, então, por que não o faríamos?”

Por Stephen Messenger / Tradução de Ana Luiza Cassin

Fonte: The Dodo


Nota do Olhar Animal: Ótimo que ajudaram o pintinho em uma situação em que muitos o abandonariam. Mas ao invés de procriar galinhas de estimação, poderiam ter adotado aves resgatadas de granjas, por exemplo. Os animais não existem para satisfazer qualquer necessidade humana, nem mesmo a de “estimar”. A tutela de um animal deve ser encarada com uma atitude para atender as necessidades do animal, não as de quem o mantém sob guarda.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.