Pitbull é morto a facadas em Itaboraí; tutor acusa vizinho após briga com outro cão

Pitbull é morto a facadas em Itaboraí; tutor acusa vizinho após briga com outro cão
Max foi morto a facadas em dezembro de 2023 — Foto: Reprodução/TV Globo

A Polícia Civil investiga a morte de um cachorro da raça pitbull em Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio. Segundo o tutor, Max foi morto com golpes de faca por um vizinho. O crime aconteceu no dia 30 de dezembro, no bairro Retiro São Joaquim.

VÍDEO: pitbull é morto a facadas em Itaboraí

Imagens de câmeras de segurança mostram o pitbull brincando com o vizinho momentos antes de ser esfaqueado. Em seguida, o homem aparece correndo atrás de Max com uma faca.

Wagner Almeida, o tutor, disse que Max fugiu no fim do ano e acabou se envolvendo em uma briga com o cachorro de um vizinho. Segundo ele, o homem então pegou um facão e desferiu vários golpes contra Max. O animal chegou a ser socorrido e levado para o veterinário, onde passou por uma cirurgia, mas não resistiu.

“No dia 30/12, houve uma ventania muito forte, meu portão se abriu e meu cachorro Max fugiu. Mas, logo em seguida, eu já estava na rua procurando por ele. O meu cachorro encontrou o cachorro desse cidadão na rua, os dois se atracaram e ele cortou o meu cachorro todo”, conta.

“Esse cachorro era o amigo da minha filha. Esse cachorro era o companheiro da minha mãe, de 73 anos. Esse cachorro era mais um filho que eu tinha, que criei desde os 45 dias. Quero fazer justiça. É a única coisa que eu quero.”

A família diz que Max era um cachorro muito dócil e foi adotado há 4 anos. Desde o incidente, o vizinho não foi mais visto.

O caso foi registrado na 71ª DP (Itaboraí). Os agentes fazem diligências para esclarecer o caso.

Agredir animais é crime. A Lei 14.064/2020 aumentou a pena para quem maltrata cães e gatos. Agora, quem comete o crime é punido com 2 a 5 anos de reclusão, multa e proibição da guarda. Se o animal morrer, a pena pode ser aumentada em até 1/3.

Por Jefferson Monteiro

Fonte: g1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.