PM apreende armas, munições e pássaros na zona rural de Itabira, MG

PM apreende armas, munições e pássaros na zona rural de Itabira, MG

A Polícia Militar de Meio Ambiente realizou a Operação Alferes Tiradentes nesta sexta-feira, 23 de setembro, após denúncia de que estaria acontecendo constantemente caça predatória de animais silvestres na região rural da Fazenda Santa Cristina, que pertence ao município de Itabira.

Ao chegarem ao local denunciado, os militares visualizaram na varanda três pássaros da fauna silvestre que se encontravam em cativeiro de forma irregular. Em conversa com um familiar do denunciado, essa disse que o suspeito “Lico” era o dono dos pássaros, mas que o mesmo não estava em casa.

Com autorização dos ocupantes da residência, os policiais então realizaram buscas pelo local, onde no quintal encontraram uma armadilha de ferro utilizada para apreensão de animais e seis cães de uma raça muito comum no uso por caçadores. Dentro da casa, no quarto do denunciado, foi localizada uma espingarda calibre 36, atrás de um guarda-roupas, além de três cartuchos do mesmo calibre.

A Polícia Militar continuou com as buscas e, num determinado momento, encontraram uma caixa d’água que era utilizada para guardar ração animal. Quando eles removeram o material, visualizaram um buraco e nesse um cano plástico com tampão, que ao ser retirado, guardava mais duas espingardas, sendo uma calibre 32 e outra calibre 28, além de uma arma branca conhecida por fisga e diversos cartuchos, cartelas de espoletas e um pote contendo pólvora branca.

Em conversa com os militares, a proprietária da casa disse que não tinha conhecimento sobre as referidas armas encontradas, pois frequentemente sai para trabalhar de manha e só retorna no final do dia. Ela declarou ainda que todo o material e os animais encontrados em sua casa provavelmente pertencem a seu filho, que não estava no imóvel.

A mulher contou que sempre sua chácara é frequentada por outras pessoas que chegam em uma caminhonete Ranger branca e adentram na mata próximo de sua casa levando os cães para caçar.

Os policiais então receberam uma denúncia de que o filho da mulher estaria trabalhando em uma fazenda pouco distante do local. Após explicações, os militares foram a tal fazenda, mas o suspeito não se encontrava lá.

Em consulta ao Copom, não foram encontrados nenhum registro das armas, que foram apreendidas, assim como os pássaros e todo o resto do material ilícito.

Os pássaros foram encaminhados para um veterinário, que iria verificar se os mesmos podem ser inseridos novamente em seu habitat natural. As armas foram entregues na Delegacia de Polícia Civil.

Fonte: De Fato Online 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.