PM registra denúncia de maus-tratos a cães em residência em Uberaba, MG

PM registra denúncia de maus-tratos a cães em residência em Uberaba, MG

A Polícia Militar de Uberaba (PM) atendeu na noite desta quarta-feira (2) uma ocorrência de denúncia de maus-tratos a animais domésticos no Bairro Frei Eugênio.

Segundo a polícia, foi feita uma denúncia de que na residência havia cachorros feridos e sem condições adequadas de sobrevivência. O morador seria assessor da vereadora Denise Max, que se posicionou em rede social sobre o caso. A reportagem ainda não conseguiu contato com o morador para ouvir a versão dele.

De acordo com os militares, ao chegarem ao local, o portão  havia sido aberto por vizinhos  e no quintal foram encontrados cinco animais, sendo quatro com vários ferimentos e cheios de carrapatos e um estava morto. As denunciantes disseram que os cães estavam sem água e comida.  Segundo as testemunhas, o morador saiu ao saber que a polícia havia sido chamada e não foi localizado.

O delegado de plantão da Polícia Civil autorizou a entrega dos animais às pessoas que  fizeram a denúncia. O caso é investigado.

Posicionamento da vereadora

Em rede social, a vereadora Denise Max se posicionou sobre o caso. Uma nota de esclarecimento e também um vídeo foram publicados com o posicionamento da vereadora.

“Tomamos conhecimento através da imprensa e rede social de fatos ocorridos com meu assessor sobre suposto maus-tratos a cães em sua residência. Apesar de não ter apurado sobre a veracidade dos fatos, estamos exonerando o assessor. Todos sabem da minha atuação na defesa dos direitos e garantias dos animais e por esta razão, diante da possibilidade, mesmo que mínima, de os fatos narrados serem verdadeiros, não podemos deixar de tomar atitude com o desligamento do assessor. Estaremos tomando todas as providências no sentido de apurar os fatos administrativamente e acompanhando as ações das polícias que investigam o caso, Poder Judiciário e Ministério Público para ao final termos uma conclusão verdadeira e justa”, diz a nota.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.