PM registra envenenamento de cães em Araxá, MG

Vítima suspeita de vizinha que teria tratado situação com ironia.

Nesta quarta-feira (25), por volta das 11h, a Polícia Militar (PM) esteve na rua José Barbosa Castro, na Vila Fertiza, onde uma mulher de 39 anos relatou que mora sozinha e em virtude disso e de o terreno do imóvel ser muito extenso e vulnerável, por questões de segurança própria, necessita de ter um cachorro.

A mulher relatou ainda que tinha um cão da raça fila, o qual morreu envenenado em data passada, ocasião em que a vítima encontrou no quintal “bolas de carne com chumbinho”. A mulher disse que conseguiu outro cão, o qual também foi envenenado e morreu nesta manhã de quarta.

A vítima e o sobrinho dela suspeitam de que uma mulher moradora de uma casa situada na rua Dona Adélia Lélis, cujo quintal faz divisa com o da casa da vítima, seja responsável pelo envenenamento dos dois animais, acrescentando que nesta data, pouco antes da chegada da PM ao local, a mulher esteve na residência da vítima e, em tom de ironia, disse para a vítima que “o jeito era ela vender o imóvel e mudar de lá”.

A suspeita não foi encontrada e diante dos fatos os policiais registraram o boletim de ocorrência para os devidos fins.

Fonte: Diário de Araxá

Nota do Olhar Animal: Duas questões importantes neste caso. A primeira, o infindável envenenamento de animais, sob olhares complacentes das vigilâncias sanitárias, que não fiscalizam os muitíssimos conhecidos pontos de venda, que comumente são agropecuárias da região. O segundo, a exploração de animais para guarda, praticada por cidadãos comuns ou por empresas, que expões os animais a riscos desnecessários.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.