PM resgata cães trancados há mais de ano em Salvaterra, na Ilha do Marajó, PA

PM resgata cães trancados há mais de ano em Salvaterra, na Ilha do Marajó, PA

Dois cães em situação degradante foram resgatados por uma equipe do 8º Batalhão da Polícia Militar (BPM) no município de Salvaterra, na Ilha do Marajó. Os animais eram mantidos presos em um local insalubre, com aparente desnutrição e cercados de sujeira e fezes em um imóvel na passagem São Francisco, no bairro Coqueirinho. Segundo informações divulgadas pela PM nesta quinta-feira (25), duas pessoas foram encaminhadas à Delegacia do município para prestar esclarecimentos sobre o caso.

Foi uma denúncia que desencadeou uma ação integrada entre os militares do 8º BPM e agentes das secretarias municipais de Saúde e Meio Ambiente. Por volta das 16h de quarta-feira (24), as equipes seguiram ao local informado e constataram o crime. 

Os caseiros do local disseram à PM que a dona do imóvel havia trancado os animais e levado a chave há mais de um ano. Os policiais acionaram o Corpo de Bombeiros Militar para auxiliar no resgate dos animais do local. Os caseiros foram conduzidos para a delegacia de Polícia Civil.

Conforme a Lei de Crimes Ambientais, praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos é crime com pena de detenção, de três meses a um ano, e multa.

Tráfico de drogas

Algumas horas depois, policiais do 8º BPM, durante rondas pelo município de Salvaterra, abordaram uma dupla em atitude suspeita e encontraram com eles uma quantidade de maconha. Os militares também chegaram até uma mulher que supostamente teria vendido o entorpecente para um deles.

Após a permissão da proprietária, os policiais realizaram buscas na casa dela e encontraram 91 embalagens de entorpecentes, entre eles maconha, óxi e pasta base de cocaína, além de dinheiro, materiais utilizados no preparo das substâncias ilícitas, celulares e um relógio.

Os suspeitos e o material apreendidos foram apresentados na Delegacia de Polícia Civil, para a realização dos procedimentos administrativos cabíveis.

Fonte: O Liberal

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.