Polícia Ambiental de Catanduva (SP) recolhe 44 animais de janeiro a outubro

Polícia Ambiental de Catanduva (SP) recolhe 44 animais de janeiro a outubro

Eles foram atropelados ou capturados em armadilhas ilegais.

SP catanduva 98a1a1a1

A Polícia Ambiental de Catanduva recolheu 44 animais de janeiro até outubro deste ano. A informação foi divulgada ao O Regional pelo 1º Tenente da PM, Comandante de Pelotão Emerson Mioransi. O histórico enviado pela Polícia Ambiental é de animais recolhidos e destinados pela Polícia Ambiental.

Segundo Mioransi, boa parte dos animais é capturada pelo Corpo de Bombeiros, que possui treinamento e equipamentos para tal, mas isso não impede que a Polícia Ambiental atue em boa parte das capturas também. De janeiro a outubro do ano passado a corporação recolheu 52 animais, número maior do que o registrado neste ano.

Todos os animais recolhidos foram atropelados, capturados em armadilhas ilegais ou dentro de residências. Os dados não levam em consideração os casos dos animais ilegalmente mantidos em cativeiros, já que estes geram autuações e processos administrativos.

Os animais capturados que não possuem ferimentos que prejudiquem o retorno ao meio ambiente são encaminhados para o habitat. Mas quando há necessidade de cuidados médicos veterinários, os policiais contam com o apoio do Hospital Veterinário da Unirp em São José do Rio Preto, onde o animal é tratado e se tiver boa recuperação é solto. Caso contrário ele é depositado em um bosque ou local capacitado que tem autorização para recebê-lo.

A orientação do Tenente para os moradores é de que jamais as pessoas devem tentar capturar esse tipo de animal, principalmente ferido ou acuado. Elas devem acionar o Corpo de Bombeiros ou a Polícia Ambiental. “Não devem recolher o animal para suas casas para tratá-los e mantê-los sob cuidados permanentes, pois além de riscos de acidentes e transmissão de doenças, elas poderão incorrer em crime ambiental por ter o animal silvestre em depósito sem autorização – art. 29, parágrafos, da Lei 9605/98”, disse Mioransi.

Quando um morador localizar um animal silvestre atropelado ou confinado em uma área urbana, eles devem também acionar o Corpo de Bombeiros e a Polícia Ambiental e a distância, manter vigilância em local seguro, para informar os policiais sobre a localização exata do animal e facilitarem sua captura.

“Qualquer tipo de manejo de animal silvestre sem autorização é crime ambiental previsto na Lei 9605/98 e infração administrativa, que vai de uma advertência até multa de R$ 5.000 por animal, conforme Resolução SMA 48/14”, afirmou o Tenente.

ANIMAIS

Uma maritaca foi encontrada em janeiro deste ano. A ave estava abandonada em um terreno baldio na avenida Benetido Zancaner em Catanduva. Ela foi encaminhada ao Corpo de Bombeiros da cidade. A maritaca não apresentava ferimentos, mas estava com uma das asas cortadas e poderia morrer rapidamente se permanecesse no local.

Já em fevereiro deste ano, uma coruja suindara, branca e rara foi encontrada em Catanduva e encaminhada para a Polícia Ambiental. Ela foi encontrada nas proximidades de Palmares Paulista,ferido bem no meio da pista. A coruja foi encaminhada para o Hospital Veterinário da Unirp.

A solicitação de recolha do animal pode ser feita diretamente ao Corpo de Bombeiros, pelo telefone 193 ou na Polícia Militar Ambiental, onde também podem ser feitas denúncias de qualquer crime ambiental como animais silvestres em cativeiro, caça, pesca e desmatamento. O telefone da Polícia Ambiental é (17) 3522-1313.

Fonte: O Regional

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.